A CP já poderá encomendar os 22 novos comboios para o serviço regional da Stadler, avança o Dinheiro Vivo. As automotoras, aprovadas pelo governo em 2018, deverão começar a circular a partir de 2025 ou de 2026. A situação vai obrigar a transportadora a prolongar o aluguer de unidades a gasóleo da congénere espanhola Renfe.

O tribunal de Contas viabilizou a aquisição de 12 unidades híbridas – para também circularem em linhas não electrificadas – e 10 unidades eléctricas, no valor de 158,14 milhões de euros. A autorização era necessária por tratar-se de um contrato público acima dos 350 mil euros.

A ordem de encomenda da CP já está pronta para seguir para a Suíça. Os sucessivos atrasos, que noticiamos anteriormente, obrigam a empresa pública a refrear expectativas de entrada em circulação das primeiras novas unidades. Também devido aos atrasos, a CP, nas linhas electrificadas, tem apostado na recuperação de material circulante, como as locomotivas 2600, e ainda carruagens como Schindler e Arco, compradas em Espanha em 2020.

Até ao final de 2022, a empresa tem um contrato de aluguer de 24 automotoras diesel aos espanhóis da Renfe, no valor de 320 mil euros por unidade. A transportadora prevê devolver oito unidades, baixando o valor anual do aluguer dos 8,3 para cerca de 5,8 milhões de euros.

À conta dos atrasos, a CP arrisca a pagar pelo menos mais 17,4 milhões de euros até ao final de 2024 para manter o aluguer do material a Espanha. A factura total poderá aumentar para 23,2 milhões de euros se as unidades suíças só entrarem nos carris a partir de 2026.

Share This

Partilhar este artigo