As fábricas de café e de cereais da Nestlé, no Porto e em Avanca, vão continuar a aumentar a produção, segundo uma entrevista que o director-geral da empresa, Paolo Fagnoni, deu ao Dinheiro Vivo, confirmando que este ano deverão replicar os 71 milhões de investimento do ano passado, até 7 milhões nas unidades fabris, de forma a tornarem-se numa empresa mais sustentável e melhorarem a eficiência das linhas.

Nos últimos dois anos a Nestlé investiu nas fábricas para aumentar a capacidade produtiva e parte destes investimentos foi no melhoramento do packaging sustentável dos produtos.

No Porto, investiram recursos e tempo na retirada do alumínio do plástico dos sacos do café, usado para proteger o produto, para que a marca Buondi no canal Horeca, seja 100% reciclável. “Temos de eliminar esse extrato de alumínio, o que não é fácil pois temos de garantir a preservação do produto, o aroma”, afirma o responsável.

Na fábrica de Avanca estão a modificar as embalagens do Nestum para 100% reciclável. Contudo ainda há muito trabalho pela frente, como por exemplo no Cerelac ainda estão a estudar como tornar reciclável a totalidade do saco mantendo a total integridade do produto.

“Algumas máquinas para tratar o novo packaging têm de ser substituídas. Transformar o nosso packaging 100% amigo do ambiente é um investimento que tem um retorno. Ter um café sustentável, da origem à embalagem, é uma vantagem competitiva. Pode originar preferência pelo meu produto”, revela Paolo Fagnoni.

 

Share This

Partilhar este artigo