Graciete Vasconcelos trabalha no Grupo Polisport há cerca de 14 anos. Desde a sua entrada que desempenhava a função de técnica de supply chain. Há três meses surgiu a oportunidade de se tornar procurement manager nesta empresa.

Confessa que o mercado em que a empresa está inserida é muito exigente, o que obriga a ter uma “dinâmica extremamente flexível” para poder dar resposta às necessidades do mercado. “Trabalhar no Grupo Polisport é um desafio constante”, revela.

É em linha com este dinamismo que encara a sua nova função enquanto procurement manager, visto que pretendem “responder à constante procura de componentes e serviços para satisfazer as necessidades das seis empresas do Grupo, tendo em conta a especificidade de cada marca que a Polisport detém”.

Salienta ainda que, associado ao elevado número de marcas e empresas, cada dia de trabalho se torna mais desafiante pelo facto de os próprios produtos carecerem de materiais inovadores.

Enquanto referência para o seu dia-a-dia de trabalho, Graciete Vasconcelos tem particular apreço por uma frase de Albert Einstein “loucura é querer resultados diferentes fazendo tudo exactamente igual”, explicando que é esta a forma de actuação que rege o Grupo, reinventando-se todos os dias para dar resposta às mudanças que o mercado exige. Prova disso é a recente criação do departamento de supply chain, como refere.

A sua motivação passa por “continuar a dar o meu melhor todos os dias, para poder encontrar as melhores soluções, com a melhor relação custo-benefício para que o Grupo possa continuar a ser um exemplo na sua área de actuação”, acrescentando ainda que “fico muito feliz por poder fazer parte desta nova estratégia e por assumir estas novas funções”.

Share This

Partilhar este artigo