O maior armador português tem vindo a crescer muito na última década, chegando ao ponto de constar na lista dos 100 maiores armadores a nível mundial da Alphaliner. Neste novo ano, a portuguesa sediada no arquipélago da Madeira enfrenta novos desafios e apresentou as suas expectativas referentes a 2020.

A nova década irá começar com alguns projectos apontados, indicando desde logo a edificação do terminal logístico da Logislink na ilha de São Miguel, como anunciado anteriormente, semelhante ao existente na Madeira, com uma área coberta de 8.500 m2, dos quais 1.600 m2 dedicados ao frio, assente num terreno de 30.000 m2.

Em termos de sustentabilidade, os seus navios passarão a utilizar combustível com baixo teor de enxofre, em linha com a Convenção internacional MARPOL da IMO (International Maritime Organization). Recorde-se ainda que o Grupo Sousa opera nove navios, dos quais cinco são próprios, em quatro países.

Em termos tecnológicos, a empresa aponta ainda a entrada em pleno da recente implementação SAP em todas as unidades de negócio, o que abrange o transporte marítimo, as operações portuárias, logística, energia e turismo.

Para além disso, em pipeline, está o início da operação de rebocadores nos portos de Lisboa, Setúbal e Sines e a entrada em funcionamento do novo edifício de serviços do Grupo Sousa, junto ao terminal de cruzeiros.

Deste modo, as expectativas do armador para 2020 são colocadas no reforço das operações com foco no cliente, de modo sustentável (a níveis ambiental, económico e social), nas suas actividades nos mercados nacional e, sobretudo, internacional, onde competem com os maiores players mundiais.

Share This

Partilhar este artigo