Na passada sexta-feira, dia 6 de Setembro, a Volkswagen Autoeuropa reactivou a linha ferroviária que irá transportar para o Porto de Setúbal os veículos produzidos na unidade industrial de Palmela.

Esta medida representa uma redução significativa de CO2, nomeadamente 80%, em relação ao transporte realizado por via rodoviária.

A reactivação da ferrovia será feita em duas fases. Durante a primeira, que compreende o período entre Agosto e Dezembro de 2019, uma composição fará o transporte diário de 250 carros, retirando 32 viagens de camiões até ao Porto de Setúbal. Na segunda fase espera-se um aumento para as duas composições, nomeadamente 500 unidades/dia, o que significa que 68% do volume de produção da fábrica de Palmela, será transportado por via ferroviária, com o restante a ser efectuado através de camiões.

Em declarações à Supply Chain Magazine, Rui Baptista, Director de Logística da Volkswagen Autoeuropa, explica a importância desta medida “tem um grande impacto para nós porque reduz-nos o tempo de operação e tem um impacto ambiental substantivo, uma vez que reduzimos 80% das emissões de CO2 que temos hoje-em-dia. A médio prazo vamos ter resultados financeiros também porque os incrementos de custos na ferrovia são menores do que os da rodovia”.

A Volkswagen Konzernlogistik, responsável pela operação, desenvolveu o conceito com a Rodo Cargo, parceira logística do projecto que também assegura o actual transporte rodoviário para o Porto de Setúbal.

Artur Pedroso, CEO da Rodo Cargo, afirmou no evento que este se trata de um passo muito importante para todos os envolvidos, bem como para o ambiente, opinião também partilhada por Manfred de Vriese, Director da Volkswagen Konzernlogistic de Emden, Alemanha, que também marcou presença na cerimónia.

Num curto intervalo de tempo foram tomadas duas decisões estratégicas em torno da sustentabilidade ambiental. Primeiro, o Gigaliner, que permite poupar 70 toneladas de CO2 por ano, e agora o transporte dos veículos por via ferroviária que irá reduzir 400 toneladas de CO2, anualmente.

Share This

Partilhar este artigo