A expectativa com que se aguarda a abertura da primeira loja da Mercadona em Portugal é só talvez comparável ao mediatismo que teve, à época, o nascimento do primeiro hipermercado ou já posteriormente o primeiro armazém El Corte Inglés deste lado da fronteira ibérica. Três anos após o anúncio oficial e muitos títulos, manchetes e notícias depois, é amanhã que em Gaia, no Canidelo, se abrem ao público as portas da primeira loja portuguesa da Mercadona.

Depois de vários falsos alarmes, o anúncio oficial da entrada da Mercadona em Portugal foi em 2016. Desde então que a insígnia tem vindo a desenvolver um minucioso trabalho de preparação e de adaptação ao nosso país e ao consumidor português, a começar pela criação da sociedade Irmãdona Supermercados S.A, com sede no Porto, onde estão localizados os escritórios centrais da empresa. Em Lisboa, foram entretanto estabelecidos outros escritórios. Em Matosinhos foi também aberto o primeiro Centro de Coinovação com o objectivo de estudar o consumidor português e adaptar a oferta de produtos das lojas aos gostos e preferências dos portugueses. São cerca de 1000m2, onde ao longo dos meses foi sendo desenvolvido um intenso e exaustivo estudo prévio para conhecer com exactidão as necessidades e hábitos de consumo do “Chefe” português (que é como a Mercadona designa os clientes).

Se o coração da Mercadona em Portugal são as lojas, sem dúvida que o pulmão é a logística. Actuando num sector de distribuição complexo, que integra gestão em loja, logística e relação directa com os fornecedores, a logística da Mercadona é como uma cadeia de montagem, onde todos os processos têm que comunicar entre si e a partilha de informação se revela vital para estarmos perante o que se quer: uma cadeia de abastecimento eficiente.
Operacional desde o início de Junho, é o centro logístico localizado na Póvoa de Varzim que irá apoiar logisticamente as quatro primeiras lojas (Vila Nova de Gaia, Matosinhos, Gondomar e Maia). O Bloco Logístico na Póvoa de Varzim foi construído num terreno de 50 mil metros quadrados, conta com duas naves de 12.000 metros quadrados, que estão preparadas para armazenar produtos secos, refrigerados e congelados. Aliás, foi pensando também na sua estratégia para o mercado português, que o retalhista espanhol fez um avultado investimento (21 milhões de euros) na modernização da plataforma logística de Leão.

A Mercadona possui uma rede logística eficiente que, no seu conjunto, chega aos 1.099.000 metros quadrados de superfície na Península Ibérica. É através dos seus 15 blocos logísticos e de 3 armazéns-satélite que são abastecidas todas as lojas.
Ainda antes da abertura da sua primeira loja portuguesa, a “Irmãdona” mostra-se imparável e já olha para Sul, com a logística no comando da expansão.

Share This

Partilhar este artigo