A empresa suíça de fabrico de chocolates Nestlé está interessada em encontrar soluções de melhoria da eficiência nas suas operações para gerar entre 2 mil e 2,5 mil milhões de euros até 2020, sendo que até agora já atingiu metade das metas pretendidas, no valor de cerca de 1,2 mil milhões.

François-Xavier Roger, CFO da Nestlé SA, conta que as operações de procurement já geraram 65% das poupanças esperadas, enquanto as operações de fabrico ainda se encontram nos 35%. Também vê potencial na terceirização de uma parcela maior dos pedidos de aquisição da empresa em três centros da Europa, América Central e Ásia. Cerca de 60% das compras da Nestlé estão divididas entre estes centros, e a centralização poderá ser uma possível resposta para gerar poupanças.

“O foco tem sido a racionalização das aquisições e back-office”, revela Martin Deboo, analista de bens de consumo na Jefferies International Ltd, “pressentimos que a Nestlé esteja a ver um grande potencial nas economias dos custos de fabrico”.

O CFO revela que neste sentido estão a fechar mensalmente uma fábrica e a reaproveitar as suas instalações, transferindo funções de fabrico entre os espaços. No ano passado a empresa abriu e fechou fábricas, terminando o ano com 413 espaços.

Share This

Partilhar este artigo