As organizações estão cada vez mais interessadas nos perfis de Supply Chain, no que podem aportar à empresa e no seu contributo para o desenvolvimento da mesma, pelo que, o mercado está cada vez mais atento a estes profissionais.

Os ranges salariais nestes perfis têm igualmente crescido, muito devido a três factores: ao aumento da sua profissionalização, ao aumento da procura destes profissionais, e à maior escassez de profissionais face às oportunidades existentes.

Infelizmente, a Supply Chain só agora está na “moda” em Portugal, devido à aposta das Universidades e Politécnicos em Licenciaturas e Mestrados, como os de Logística, Gestão e Engenharia Industrial (entre outros), bem como pela divulgação natural do mercado de trabalho das vantagens de fazer parte deste sector, cada vez menos operacional e cada vez mais estratégico para as organizações.

Os perfis de Supply Chain vieram para ficar e apesar de existirem diversos profissionais especializados, a sua procura tem aumentado, podendo, daqui a uns anos, existir um nível de procura muito superior ao mercado existente.

Temos colaborado com universidades e politécnicos, na divulgação do potencial deste sector que, reforço, é imenso! Nunca tivemos tantos processos de recrutamento para posições de Supply Chain, os clientes têm reforçado o seu interesse em contratar profissionais para estas funções.

Aconselho a quem goste, tanto da vertente analítica como da vertente operacional, que aposte na Supply Chain. Será uma das funções com maior e mais rápido crescimento em Portugal, com cada vez maior poder de decisão.

Repito. Aposte, aposte e volte a apostar em funções de Procurement, Supply Chain, Logística e em todas as funções que as rodeiam! O mercado está a mudar e serão estes profissionais que estarão cada vez mais bem preparados para o enfrentar e cada vez mais perto dos poderes de decisão.

Filipe Forte | Consultor Sénior, Logistics&SupplyChain | Michael Page

Share This

Partilhar este artigo