Saiu hoje, dia 5 de Abril, o anúncio da aprovação do Conselho de Ministros em Espanha para a compra de 51% do capital da Rangel Express, divisão que representa 15% do negócio total da Rangel Logistics Solutions, por parte dos Correos espanhóis. A entrada da empresa espanhola em Portugal já vem sendo anunciada desde Janeiro, e será a primeira internacionalização da empresa tricentenária do grupo SEPI.

A nova parceria entre as empresas trará uma nova denominação para a Rangel Express, que passará a chamar-se Correos Express Portugal, e pretende assegurar uma oferta unificada para toda a região ibérica, prometendo fazer entregas em qualquer ponto da península ibérica em 24 horas, através dos múltiplos pontos de ambas as empresas que se encontram espalhados pelos dois países. Em Espanha, por sua vez, o serviço de distribuição expresso passará a denominar-se CEX (Correos Express).

Através deste novo serviço, a Correos procura vir ser líder no transporte e entrega de encomendas provenientes do negócio do comércio electrónico a nível ibérico, bem como oferecer serviços de transporte expresso de e para qualquer parte do mundo.

Em Portugal, a Rangel foi criada há quase 40 anos, e a sua divisão Expresso distinguia-se pela prestação de serviços de distribuição de última milha de pequenos volumes a nível nacional e internacional. Dispõe de uma frota de 250 veículos e uma equipa de 160 colaboradores, estando presentes pelo país em 12 plataformas nacionais, o que lhe permite uma movimentação anual de 3 milhões de envios.

Por sua vez, a Espanhola tem cerca de 8.700 acessos em território vizinho e mais de 1.700 unidades de distribuição regular e urgente, movimentando anualmente 2,6 mil milhões de envios. Com uma equipa de 51.000 colaboradores, a Correos é líder no transporte expresso de encomendas e serviço postal espanhol, especialmente nas entregas e-commerce, chegando diariamente a todas as empresas e instituições.

As empresas já mantinham uma parceria desde 2017, mas este novo negócio irá permitir à espanhola cobrir todo o território ibérico, melhorar os tempos de entrega e consolidar a relação que já existia entre ambas as entidades. “O objectivo é passar para um prazo de 24 horas”, admite Juan Manuel Serrano, presidente do grupo Correos.

Nuno Rangel, presidente-executivo do grupo Rangel, explica que com este negócio vão conseguir ter um serviço porta-a-porta na Península Ibérica, a partir de Portugal. “Hoje o mercado é claramente ibérico, o que faz sentido é ter uma solução ibérica, e a nossa relação com os Correos traz muito potencial”, revela. Segundo conta, até 2021 está previsto investir 4 milhões de euros em logística e sistemas informáticos, de modo a adoptarem o sistema automático de triagem espanhol.

Share This

Partilhar este artigo