A Comboios de Portugal (CP) está a analisar cinco candidaturas para o fornecimento de 22 comboios para as linhas portuguesas, num investimento de 168,21 milhões de euros. Em causa está a falta de stock da espanhola Renfe, empresa à qual a CP alugou quatro comboios a diesel no início do ano, dos quais um já se encontra operacional, outro chegará nas próximas semanas e as restantes unidades estão previstas chegar nos meses de Junho e Setembro.

Recorde-se que este aluguer acresce às 20 unidades que já havia negociado anteriormente com a espanhola e que custam 7 milhões de euros anualmente, o que dá cerca de 350 mil euros ao ano por comboio.

Carlos Nogueira, presidente da CP, revela que o prazo de entrega “é um dos factores importantes”, e salientou a necessidade de reforçar as suas manutenções devido à falta de material para alugar da espanhola.

As empresas em análise são as Standler Service Nederland, Patentes Talgo SLU, Construciones y Auxiliar de Ferrocarriles, Alstom Transporte e Siemens Mobility Unipessoal, que apresentaram as suas candidaturas no concurso que terminou a 12 de Fevereiro, sendo a decisão final anunciada 44 dias após esta data.

O plano fora aprovado em Setembro de 2018 pelo Conselho de Ministros e considerado “um marco histórico” pelo ministro do Planeamento e das Infra-estruturas, Pedro Marques, à data da assinatura, revelando que é “a primeira vez em cerca de 20 anos que a CP vai ter um plano de aquisição de novo material circulante”.

Share This

Partilhar este artigo