A Comissão Europeia (CE) divulgou o relatório da aplicação do Plano de Acção para a Economia Circular, adoptado em Dezembro de 2015, que revela a eficácia do mesmo, demonstrando que este contribuiu para a aceleração da transição para um paradigma de Economia Circular na Europa, o que, por sua vez, contribuiu para um aumento da criação de emprego e de novos modelos de negócio.

No documento pode ler-se que, em 2016, os sectores relevantes para a Economia Circular empregavam mais de quatro milhões de trabalhadores, o que representa um aumento de 6% em relação a 2012.

A transição para a “circularidade” levou também ao surgimento de novas oportunidades de negócio, proporcionando condições para novos modelos empresariais e para o desenvolvimento de novos mercados.

Em 2016, as actividades circulares como a reparação, a reutilização ou a reciclagem, geraram cerca de 147 mil milhões de euros de valor acrescentado, representando ao mesmo tempo cerca de 17,5 mil milhões de euros de investimento.

O relatório agora divulgado revela não só os resultados positivos obtidos com a execução do Plano, mas também os desafios que se colocam na preparação do terreno para a Economia Circular, neutra em termos climáticos e simultaneamente competitiva, minimizando a pressão sobre os recursos naturais e de água doce e os ecossistemas.

Share This

Partilhar este artigo