Após a Volkswagen ter anunciado juntar-se à SK Innovation para construir uma fábrica de criação de células para baterias, destinadas aos seus veículos eléctricos, a LG Chem, maior empresa de produtos químicos da Coreia do Sul e a maior fornecedora de células da multinacional automóvel, ameaçou parar o aprovisionamento deste produto para as baterias dos eléctricos da marca, visto a Volkswagen estar-se a juntar a uma empresa concorrente e a começar a desenvolver as suas próprias células para eléctricos.

O fabrico de baterias para os veículos eléctricos aparenta estar ao alcance de qualquer indústria, mas possuir o know-how para fabricar as células, o coração da bateria, é algo tão raro que menos de 10 empresas no mundo as fornecem, todas asiáticas – e uma das poucas está agora a largar a parceria com a Volkswagen. Os fabricantes automóveis e de células já se encontram a apostar nas parcerias de modo a conseguirem compensar os problemas de aprovisionamento gerados pela falta de oferta, como é o caso da Tesla, que desde 2012 produz e desenvolve as suas próprias baterias em parceria com um parceiro especializado.

A parceria feita entre a alemã e a sul-coreana visa criar uma fábrica nos EUA, para a produção das ditas células e packs, estando ainda interessada em criar uma segunda fábrica na Europa, levando a LG Chem a reagir, alertando a Volkswagen que se a parceria realmente acontecer irão suspender o fornecimento de células.

Segundo se espera, a fábrica dos EUA só iria estar operacional em 2022, e a europeia cerca de um ou dois anos depois, pelo que a ameaça poderá colocar em causa toda a estratégia do grupo, que envolve a produção de 3 milhões de veículos eléctricos por ano, bem como a criação de 50 modelos 100% eléctricos até 2025.

As outras fornecedoras do grupo, Samsung SDI e CATL, ainda não se manifestaram relativamente a este assunto.

Share This

Partilhar este artigo