Foram adicionados mais 17 mil milhões de euros, pelo Governo Espanhol, ao projecto de infra-estruturas desenhado para melhorar o transporte de mercadorias entre Portugal, Espanha, França e Alemanha, designado Corredor Atlântico, de acordo com o Expansión.

Esta quantia anunciada pelo ministro de Desenvolvimento espanhol, José Luis Ábalos, será dividida em dois blocos, em que 2.997 milhões serão destinados a renovações e 13.475 a novas construções. Para este plano, Espanha terá despendido, até ao momento, 41.047 milhões de euros.

O Secretário Geral da infra-estrutura, Javier Izquierdo, indicou a electrificação e a implementação integral do sistema de segurança ERTMS como requisitos essenciais.

Na secção de transportes e cargas, o plano prevê que a estrada deverá suportar uma carga de 22,5 toneladas por eixo, permitindo aos comboios atingir uma velocidade de linha mínima de 100 km/h, e terá um comprimento de 750 metros.

O Corredor Atlântico constitui-se a partir de troços da infra-estrutura ferroviária existente que inclui as cidades de Sines, Setúbal, Lisboa, Aveiro e Leixões, transpondo as fronteiras entre Vilar Formoso e Fuentes de Oñoro e entre Elvas e Badajoz. Na cidade Espanhola, a obra passa por Algeciras, Madrid, Bilbao e Saragoça, alargando o projecto até às cidades francesas Bordéus, La Rochelle, Nantes, Paris, Le Havre, Metz e Estrasburgo. Em 2016, juntou-se a Alemanha com a ligação entre França e Manheim.

Share This

Partilhar este artigo