Enquanto operador logístico, um dos objetivos primeiros da Rangel é otimizar os fluxos logísticos dos seus clientes e colocar os produtos no mercado rapidamente, de forma eficiente e segura. Com a entrada de um novo cliente da área da moda e lifestyle, surgiram também novas necessidades. Foi a solução Platbricks, da Arvato Systems, que acabou por corresponder a todas elas. Um ano depois, fazem-se balanços.

Neste momento é possível monitorizar a operação a qualquer momento, “desde a fase inicial até ao fim da preparação das diversas encomendas para as diferentes lojas e, graças a um modo analítico da solução, vê-se a progressão das tarefas ao longo do tempo”, sublinha Fernando Silva, project manager and software implementation consultant da Arvato. Esta mesma ideia é corroborada por Miguel Novais, diretor de operações da Rangel Logistic Solutions: “temos uma torre de controlo através da qual conseguimos ver, operador a operador, qual é a sua atividade, qual é a sua produtividade e no computo geral qual é o ponto de situação da operação. A plataforma da Arvato Systems apresentou-se com uma enorme capacidade de adaptação às nossas necessidades operacionais; os operadores, por seu turno, adaptaram-se facilmente e com treinos e formação que não foram muito alargados no tempo, uma vez que o software é muito dinâmico e intuitivo”.

Miguel Novais não esconde que nem tudo foram rosas e que encontraram algumas dificuldades pelo caminho, mas “com as reuniões de projeto e depois da Arvato entender a nossa linguagem logística e tecnológica, fomos adaptando, cruzando ideias e encontrando soluções. Ainda que algumas não fossem nativas do Platbricks, a Arvato Systems conseguiu sempre acompanhar e fazer alguns desenvolvimentos extra, ou seja, pequenas adaptações às nossas necessidades”.

Aumento da produtividade e da taxa de fiabilidade operacional no picking e na preparação de encomendas, bem como terem deixado de utilizar papel na operação, são algumas das conquistas apontadas por Miguel Novais. Por sua vez, do lado da Arvato, Fernando Silva refere que “aprendemos imenso com este projeto. Ajudámos a Rangel, mas a Rangel também nos ajudou a nós, pois acabámos por desenvolver algumas novas funcionalidades para a solução. No fundo, não é apenas mais um cliente, há aqui uma verdadeira lógica de parceria, em que as duas empresas desenvolvem-se e crescem em conjunto”.

Leia a reportagem completa AQUI.

Share This

Partilhar este artigo