A Indra, uma das principais empresas globais de tecnologia e consultoria, recentemente reconhecida como a empresa mais sustentável do mundo no setor tecnológico pelo Dow Jones Sustainability Index, otimizou a gestão dos seus envios e transportes internos nos seus principais centros logísticos de Transportes e Defesa (T&D) em Espanha, tendo alcançado uma redução de 20% nos custos de transporte e de 12% nas emissões de CO2 em apenas dez meses.

A medida afeta especificamente os centros logísticos da área de operações da T&D, onde a empresa desenvolve sistemas de simulação, radares, pórticos para portagens ou máquinas de venda automática de bilhetes e controlo de acesso, entre outros – tecnologia que a empresa exporta para clientes em todo o mundo, inclusive Portugal. Localizados em Madrid e Guadalajara, estes são os maiores centros de produção da Indra em Espanha.

No intuito de otimizar esta parte do negócio, a área de Operações implementou um sistema de interface único que lhe permite centralizar toda a gestão relacionada com o transporte de materiais. Desta forma, é possível tornar as transferências mais eficientes e adaptar os serviços ao fornecedor de transporte mais adequado. Sob a operação de profissionais peritos em tráfego e rotas, bem como na supervisão de armazéns e logística da cadeia de abastecimento, o sistema é responsável por assegurar o serviço de transporte mais eficiente depois de analisar possíveis agrupamentos com outras necessidades e fornecer informações e alternativas ao cliente interno, que é permanentemente mantido informado sobre a expedição.

Este modelo centralizado melhora as operações da Indra, ao nível do próprio processo, evitando o contacto entre o cliente interno e o transportador, assim como a nível económico, pois torna os procedimentos mais eficientes e permite aplicar economias de escala por agrupamento, graças a uma melhor organização dos fornecedores. O sistema minimiza a atomização dos envios, reduzindo a duplicação e o transporte urgente dedicado, facilitando ao mesmo tempo uma melhor utilização dos mesmos, a visibilidade total dos materiais ao longo da cadeia de fornecimento, a capacidade de prever ruturas ou de efetuar simulações, entre outras capacidades. 

Esta proposta representa mais um passo em frente no compromisso da Indra com a sustentabilidade e é muito significativa uma vez que provém da sua área de operações, que são fábricas que exportam para todo o mundo e são os centros de trabalho que geram mais resíduos e consomem mais energia. De referir que, hoje em dia, 89% deste consumo já é constituído por energias renováveis e, em 2023, atingirá os 100%. Em linha com este objetivo, a empresa anunciou, recentemente, que em apenas nove meses conseguiu reduzir o consumo de energia em 15% e os resíduos não perigosos gerados nestas fábricas em 20%. Estas fábricas são estratégicas para a empresa têm um plano específico totalmente alinhado com o Plano Diretor de Sustentabilidade da Indra, para melhorar o desempenho ambiental e social, bem como para conseguir operações mais sustentáveis.

Os progressos alcançados nos centros logísticos T&D da Indra em Espanha fazem parte dos objetivos estabelecidos pela empresa no seu Plano Diretor de Sustentabilidade, relacionados com uma melhoria na medição e redução da pegada de carbono e eficiência energética, uma gestão mais eficiente dos seus resíduos e do transporte ou a incorporação de critérios ESG no desenho e fabrico dos seus produtos e serviços. 

 

Share This

Partilhar este artigo