A Michael Page lançou o seu estudo anual sobre as tendências de recrutamento para quadros executivos, em empresas de grande dimensão, relativo ao ano 2022. Através desta análise, pretende-se traçar um perfil sobre como se comportará o mercado de trabalho em diferentes sectores no próximo ano, bem como analisar o que mudou face aos anos anteriores.

Seleccionámos algumas das principais áreas presentes no estudo com impacto na supply chain. Afinal, que melhor forma de começar o novo ano senão com uma boa análise das tendências e alguma proactividade para não ser apanhado de surpresa?

Engineering & Manufacturing
Ao nível do sector industrial, o estudo aponta que as empresas demonstraram bem a sua importância e um ritmo mais acelerado do que era habitual. Os perfis mais procurados foram relacionados com as áreas de logística e supply chain, nomeadamente Engenheiros de Processo, Engenheiros de Melhoria Contínua, Supervisores de Produção, Técnicos de Manutenção, Gestores de Projecto e Engenheiros de Produto.

A necessidade crescente de profissionais nestas áreas é bastante clara, tendo a procura superado a oferta do mercado. Apesar disso, ao nível dos salários, os cargos de direcção não sofreram alterações, mas em áreas técnicas de engenharia são visíveis grandes melhorias. “A remuneração ou outros benefícios monetários não são a única forma de influenciar a decisão dos candidatos, que procuram cada vez mais a flexibilidade e/ou o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal”, avança a empresa.

A Michael Page também destaca que “é importante que as empresas se diferenciem neste sector através de uma forte cultura empresarial, com planos de carreira bem definidos e possibilidade de mobilidade interna”.

Information Technology
Nos últimos anos a área das tecnologias de informação tem tido um especial destaque, devido à pandemia de COVID-19, e em grande parte devido à transformação digital que se seguiu. Por essa mesma razão, é compreensível e expectável que esta tenha apresentado um crescimento, com uma maior procura de profissionais estratégicos e especializados, especialmente nas áreas de Cyber Security, IoT, Cloud, CRM, ERP, Machine Learning e Big Data.

A exigência para estes cargos também aumentou, como na combinação entre as hard e soft skills, e ao nível das competências destacam-se a liderança, comunicação e orientação para a resolução de problemas.

Esta área apresenta uma tendência salarial superior, sendo este um factor importante na caça de talentos. No entanto, também se destacam outros factores de decisão para os candidatos para aceitarem novos desafios, destacando-se: a natureza do projecto, o ambiente tecnológico e as próprias responsabilidades da função.

Logística
A procura por profissionais desta área é forte e com tendência para progressão salarial. Como visto anteriormente relativamente ao sector industrial, esta área conta com uma procura superior à oferta, e a empresa aponta que isso se deve, “em parte devido ao impacto da pandemia no sector, obrigando as empresas a rever todos os processos”.

Os perfis mais procurados são de middle management, destacando-se as funções de Customer Service, Supervisor de Logística, Responsável de Operações ou Comprador Sénior. Ao nível das posições de Top Management, também apresentaram um crescimento na procura, para os cargos de Director de Operações, Director de Logística, Director de Supply Chain e Director de Compras.

Ao nível da atracção de talento, esta área exige diferenciação por parte das empresas, e um plano que envolva a possibilidade de progressão de carreira e um pacote de “fringe benefits” diversificado, como ginásio, seguro de saúde, fundo de pensões, entre outros, para além de considerar outros temas como saúde ou flexibilidade.

Share This

Partilhar este artigo