No seu relatório Future of Work in Logistics, a DHL dá algumas pistas sobre como será o futuro próximo, lembrando que “à medida que a indústria enfrenta uma crescente escassez de mão-de-obra e uma disputa por talentos, as organizações terão de implementar estratégias para atrair, reter, desenvolver e motivar os trabalhadores, se quiserem ter sucesso na era digital”.

Num documento que ouviu as opiniões de mais de 7.000 profissionais da logística e das cadeias de abastecimento sobre as oportunidades e desafios que enfrentam, a multinacional explica que “os Millennials e a Geração Z estão a pressionar o setor logístico para satisfazer novas exigências em torno da sustentabilidade, diversidade e inclusão, bem-estar dos trabalhadores e ambientes tecnológicos”, sendo que estas dinâmicas estão intimamente relacionadas com melhorias nas áreas da digitalização, automatização e inteligência artificial, trazendo consigo um impacto global significativo nos cargos, modelos e locais de trabalho”.

“Pela primeira vez, os nativos digitais começarão a ultrapassar em número aqueles que começaram a sua carreira antes da Internet se tornar uma realidade.  Esta afluência contínua de pessoas mais jovens no mercado de trabalho está a acelerar uma mudança nos valores dos locais de trabalho”, avança o mesmo documento.

“Embora 9 em cada 10 inquiridos acreditem que a tecnologia tem sido útil para a sua carreira, são ainda mais de 50% que consideram que a inteligência artificial e a automatização são uma potencial ameaça para o seu trabalho”, destaca Matthias Heutger, SVP e Diretor Global de Inovação da DHL. “Isto representa uma enorme oportunidade e responsabilidade para as empresas e governos agirem em cooperação e de forma ágil para combater esta perceção negativa. Terão de implementar estratégias que demonstrem o sucesso da colaboração entre as pessoas e as máquinas em ambientes de trabalho. Só assim permitimos que os profissionais avancem com confiança para a próxima era de trabalho”.

“A digitalização já está a mudar significativamente a nossa forma de viver e trabalhar. A pandemia apenas acelerou a implementação dos planos que as empresas tinham previsto. De facto, prevemos que entre 30 e 35% de todas as atividades poderão ser automatizadas até 2030. No entanto, acreditamos firmemente que a maior parte da criação de valor continuará a ser proporcionada pelas pessoas”, afirma Thomas Ogilvie, Diretor de Recursos Humanos do Grupo Deutsche Post DHL. ” Não há dúvida de que alguns postos de trabalho irão mudar, mas o trabalho permanecerá. É por isso que a aprendizagem constante é mais importante na era digital do que nunca”.

Pode consultar o estudo integral AQUI.

Share This

Partilhar este artigo