O aumento dos preços dos combustíveis tem sido um tema bastante presente recentemente em Portugal. Sobre o tema, Gonçalo Lobo Xavier, director-geral da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED) faz notar que o preço do gasóleo tem um peso de 30% do custo do transporte de mercadorias, sendo que este valor acaba por impactar os custos associados ao transporte. Este aumento do preço dos combustíveis tem “consequências em toda a cadeia de distribuição”, afirma.

O “aumento dos preços dos combustíveis está a ser acompanhado pela subida do preço da eletricidade e do gás natural”, valores que afectam toda a cadeia de produção e distribuição. Para fazer face a estes preços, Gonçalo Lobo Xavier, afirma que é necessário “comprar bem, ter a logística bem organizada e uma rotação de produtos bem equilibrada”.

“Procuramos acomodar e mitigar estes aumentos, mas torna-se difícil quando temos pressão em toda a cadeia de valor”, afirma, acrescentando que a APED já sinalizou junto do Ministério da Economia e da Secretaria de Estado do Comércio, que toda a cadeia de valor está sob pressão”, evidenciando algumas “matérias em que o governo pode intervir, naturalmente que foi discutido que a carga fiscal é um factor alusivo e que nos retira competitividade”. O governo mostrou alguma sensibilidade para com estes temas, de acordo com Gonçalo Lobo Xavier.

Sobre a possibilidade do aumento dos preços dos produtos, o responsável evidencia que é “expectável existir um aumento dos preços finais a médio-prazo” devido a um “conjunto de factores que está a afectar a economia e está a colocar pressão nas cadeias de distribuição e de valor”.

Share This

Partilhar este artigo