Há cerca de seis meses, Pedro Sousa aceitou o desafio de ser o head of supply chain management, na Aspöck System Portugal.

Até ao momento, o profissional afirma que as expectativas estão, “sem dúvida” a ser cumpridas. “A missão, visão e valores da empresa estão alinhadas com o que acredito que seja um excelente modelo de empresa para trabalhar. Existe um grande espírito de equipa e resiliência, e só assim conseguimos vencer todas as dificuldades do dia-a-dia a médio/longo-prazo”, conta Pedro Sousa, acrescentando que “o ‘core business’ é por si só directamente exaustivo com a diversidade de produtos e clientes. No entanto, mantemos um equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, que é peça-chave para termos equipas motivadas e orientadas para resultados”.

Pedro Sousa espera do sector da supply chain “muitos desafios”, nomeadamente lead times “out of control”, bem como o aumento dos mesmos, faz com que o modelo da supply chain tenha de ser repensado. “Com isto, desafiamo-nos, desde os clientes aos processos e fluxos internos e externos, até aos fornecedores, para que a resposta seja a melhor, garantindo as entregas a baixo custo e dentro dos prazos definidos”, refere, sublinhando que a superação é o lema de toda a equipa da empresa, “só pode existir o seguinte pensamento, todos desafios serão encarados como oportunidades, e cresceremos em vez de estagnarmos”, acrescenta.

“É nas dificuldades que surgem as maiores oportunidades” e “fazer, tratar sempre os outros, da forma que gostava que me fizessem, tratassem”, são dois pensamentos que o movem e inspiram. O que o move e motiva? “Ser melhor todos os dias, em tudo o que faço. Ser sempre a minha melhor versão”.

Pedro Sousa já passou por empresas como Faurecia e Eberspächer Group, tendo desempenhado cargos como Plant PC&L Improvement, Program PC&L leader, ou warehouse manager.

Share This

Partilhar este artigo