Criada no início deste ano, a Batch foi constituída como uma startup de logística, e promete a entrega ao cliente final em menos de duas horas. Apesar de recente, já captou a atenção de 100 marcas em Portugal, é responsável por todos os detalhes logísticos e ambiciona a internacionalização já no próximo ano, graças a uma segunda ronda de investimento.

O fundador da Batch, Pedro Vasconcelos, explica que trabalham com todas as marcas e segmentos de negócio, tanto locais como multinacionais. “Damos a possibilidade a qualquer retalhista de competir com as grandes marcas”, comenta o responsável em entrevista ao Dinheiro Vivo.

Para já, esta solução está disponível em Lisboa, Oeiras, Cascais, Porto, Maia, Matosinhos e Vila Nova de Gaia, e o responsável conta que “a experiência é semelhante a chamar um carro ou a encomendar uma refeição. Mostramos o tempo de entrega, apresentamos a localização do estafeta e no fim pedimos para avaliar a experiência de compra”.

A entrega em duas horas deve-se à preparação das encomendas por parte das empresas, dentro das lojas, e ao armazenamento dos seus produtos em dark stores, uma rede de armazéns da plataforma no centro das cidades de Lisboa e do Porto, um conceito que está em grande crescimento.

Estes armazéns estão directamente ligados às lojas online das marcas parceiras da plataforma e a informação é transmitida em tempo real, pelo que assim que um produto esgote, essa informação fica imediatamente disponível para o cliente no momento da compra.

A Batch cobra uma comissão às empresas de acordo com o tipo de produto enviado aos consumidores, e também faz o envio para todo o país no próprio dia, ou no dia seguinte, no caso de ser um envio para o estrangeiro, através dos seus parceiros.

Ao Dinheiro Vivo, Pedro Vasconcelos contou ainda que a ideia da Batch surgiu no Verão passado. “Estava em casa, durante a pandemia, e comecei a enviar e-mails a algumas marcas para perceber se teria interesse esta nova opção de entrega de encomendas. Começámos a ter respostas e a criar uma equipa”, acrescentando que as primeiras encomendas surgiram no início deste ano, com a ajuda de investidores, e após um volume de entregas de meio milhão de euros em encomendas e de reunir uma equipa de nove pessoas, está agora a estudar a possibilidade de se lançar em França ou Itália, também utilizando o conceito de entregas em menos de duas horas.

Para os próximos meses está também em marcha a conversão da frota a gasolina para eléctrica.

Share This

Partilhar este artigo