A MiR Robots lançou o MiR Hook 250, um gancho de reboque desenhado como módulo superior para o MiR250, um robô móvel, rápido e compacto. É que o transporte de carrinhos e caixas numa unidade industrial, por exemplo, é um processo que, na maioria dos casos, se realiza de forma manual, ainda que esta tarefa suponha uma sobrecarga sobre o sistema músculo-esquelético do trabalhador.

Segundo avança a fabricante de robôs, o MiR250 Hook é o único acessório da sua gama disponível no mercado que oferece a oportunidade de libertar os trabalhadores das tarefas físicas de transporte e “optimiza os processos logísticos internos para aumentar a produtividade e o rendimento de qualquer indústria e sector”, como afirma Søren E. Nielsen, director executivo da MiR Robots.

O MiR250 Hook é capaz de movimentar até 500 kg e pode deslocar-se a velocidades até 2 m/s em ambientes dinâmicos de produção, de forma segura e eficiente. O gancho da MiR Robots acopla-se automaticamente a um carrinho e entrega-o no seu destino sem qualquer intervenção humana. Além disso, ao ser autónomo, não é necessário modificar a distribuição do armazém ou da unidade de produção nem comprar novos carrinhos, já que o robô pode localizar e ligar-se a quase qualquer tipo de carrinho através dos códigos QR ou de AprilTags. Acresce que o número de carrinhos que um robô MiR250 Hook pode recolher e rebocar para diferentes locais do edifício é ilimitado, além de poder operar com carrinhos de diferentes tamanhos e alturas.

A configuração do robô é simples e não requer conhecimentos em programação. Os códigos QR ou AprilTags colocam-se nos carrinhos ou nas caixas para que o MiR250 Hook os possa identificar e o próprio robô mapeia o seu ambiente, através da importação de uma planta das instalações no software do robô.

Ao trabalhar de forma autónoma, pode actualizar-se facilmente a rota do robô em qualquer momento, de forma simples e rápida, através de um smartphone, tablete ou dispositivo com ligação à Internet ou por Bluetooth. Além disso, o robô também se pode ligar a elevadores e portas, o que lhe dá total autonomia para se movimentar e transportar mercadorias por todo o edifício sem necessidade de supervisão.

Precisamente por isto, esta solução está a ter muito boa recepção no sector da saúde, já que permite “aliviar a carga dos/as assistentes operacionais através da automatização do transporte interno de roupa de cama, resíduos ou até de bandejas de comida para os doentes”, refere Søren E. Nielsen.

Share This

Partilhar este artigo