Francisco Ribeiro aceitou, há cerca de um mês, o desafio de ser o novo global physical distribution manager da Philips.

Por ser um desafio muito recente, Francisco Ribeiro diz preferir levar tudo “passo a passo e ir criando expectativas diárias”. No entanto, na primeira semana de trabalho já conseguia perceber a dimensão da empresa, “um mundo completamente diferente do que eu estava habituado e, principalmente, o entusiasmo dos colaboradores por fazerem parte de uma organização tão grande e com tanto impacto na vida das pessoas”, refere.

Ainda assim, entrou na Philips com expectativas “muito altas” em relação à empresa e a si próprio. “Penso que essa jornada é uma via de mão dupla e que não é correcto apenas esperar algo em grande por parte duma empresa, sem termos a convicção de que é necessário continuarmos a desafiar-nos, de modo a estarmos também à altura das nossas próprias expectativas e daqueles que contam com o nosso trabalho”, reflecte o profissional.

O segmento do healthcare, acompanhou a transformação levada a cabo pela pandemia e, de acordo com Francisco Ribeiro, pode-se esperar novos avanços nas áreas de ‘digital patient data’, ‘telehealth’, e novas formas de diagnóstico e tratamentos portáteis que permitem alcançar um maior número de pessoas. “Espero que o sector do healthcare se torne cada vez mais focado no cliente, sendo para isso vital continuar a apresentar soluções tecnológicas e digitais que tenham como finalidade melhorar a vida das pessoas. De forma a lidar com todas estas alterações, as supply chains, como espinha dorsal da operação das empresas, necessitam também de evoluir e se tornar cada vez mais flexíveis e orientadas para o cliente”, afirma.

‘Anything you want to do, you can do it if you just set your mind to it’. Esta frase de Benjamin Franklin é um driver para o profissional, e a sua motivação no plano empresarial “sempre foi trabalhar com um propósito”, confessa. Para Francisco Ribeiro ter-se juntado à Philips foi um “casamento perfeito”, pois permite pôr em prática as suas capacidades com o objectivo de melhorar a vida de pessoas “reais”. “Penso que no fim do dia, todos precisamos encontrar o nosso propósito na vida, e parte disso é entender o nosso propósito de trabalho. A motivação que se tira de trabalhar para algo que nos preenche não tem comparação e muitas vezes depois de um dia difícil no escritório é muito reconfortante perceber que se termina o dia com a sensação de fazer parte de uma missão com um propósito”, explica.

Francisco Ribeiro já passou pelo Millennium bcp enquanto project management specialist, pelo British Hospital Lisbon XXI enquanto management consultant, pelo Jacquet Metal Service enquanto warehouse operations consultant, pela UPS enquanto strategy consultant, e pela Sonae Arauco onde desempenhou as funções de lead transport consultant e supply chain logistics management.

Share This

Partilhar este artigo