A PepsiCo anunciou a intenção de estender as práticas agrícolas regenerativas a quase três milhões de hectares, ou seja, “quase 100% da sua pegada agrícola”, até 2030. A nova meta do projecto de sustentabilidade “Agricultura Positiva” tem a ambição de melhorar a qualidade de vida de mais de 250 mil pessoas que fazem parte da sua cadeia de abastecimento agrícola. O objectivo é alcançar um fornecimento 100% sustentável. A empresa estima que o cumprimento desta meta permitirá eliminar pelo menos três milhões de toneladas de emissões de gases de efeito estufa até o final da década.

Em Portugal, a agricultura local e a sustentabilidade tornaram-se “prioridades” para a multinacional. Em 2020, a empresa contribuiu para o sector agrícola português com a compra de mais de 28.500 toneladas de batata e 3.100 toneladas de amendoim.

“Estamos convictos de que o sucesso do negócio depende de um sector agrícola bem sucedido e sustentável, por isso trabalhamos junto dos agricultores locais, com quem mantemos uma relação de mais de 15 anos. Gerámos 516 empregos no país, investindo, anualmente, sete milhões de euros em matérias-primas agrícolas. Isto permite-nos abastecer o mercado português com mais de 27.000 toneladas de batata e frutos secos”, comenta Pol Codina, country manager de PepsiCo em Portugal, num comunicado de imprensa.

A preocupação com a sustentabilidade dos recursos é “uma questão diária” na PepsiCo Portugal. Em 2020, a empresa investiu um total de oito milhões de euros na fábrica do Carregado (Alenquer), com o objetivo de promover a sustentabilidade no processo de produção. Actualmente, 40% do total de água consumida na unidade industrial é reaproveitada.

Share This

Partilhar este artigo