A Dachser fecha o ano de 2020 com balanço positivo. O volume de vendas da empresa manteve-se quase inalterado, face ao ano anterior, isto apesar de todos os constrangimentos causados pela pandemia de Covid-19, que fizeram de 2020 um ano extremamente atípico. Assim, e graças a um segundo semestre bastante forte – que compensou o impacto causado pelos confinamentos vividos, em Abril e Maio, na Europa –, o volume consolidado de vendas líquidas da multinacional de logística ascendeu a 5,61 mil milhões de euros, o que representa um decréscimo de 0,9% face ao ano anterior.

Em 2020, a Dachser investiu 142,6 milhões de euros na rede de logística global. Este ano, prevê investir cerca de 190 milhões de euros para criar capacidade logística adicional e avançar com a digitalização.

Os resultados por divisões atribuem uma quebra de 2,2% ao volume de vendas da divisão “Road Logistics”, em termos homólogos. “A divisão Road Logistics não perdeu o ímpeto de crescimento. No entanto, mesmo com a recuperação sentida no final do ano, tornou-se impossível compensar integralmente as quebras na Europa, impostas pelos confinamentos de Abril e Maio, sendo que, aqui, as operações em França e na Península Ibérica foram as mais atingidas. Esta dinâmica fez a receita líquida consolidada da divisão Road Logistics cair 2,2% para cerca de 4,5 mil milhões de euros”, diz ainda Eling.

A divisão “Air & Sea Logistics”, por seu turno, cresceu  5,2% no mesmo período. “Respondemos rapidamente aos muitos pedidos de transporte aéreo, fretando aeronaves para expandir a nossa própria capacidade, inicialmente para abastecimento de produtos médicos e, depois, também para outros tipos de mercadorias. No geral, operámos cerca de 150 voos charter entre Europa, Ásia e EUA durante 2020”, esclarece.

A unidade de negócio European Logistics, por sua vez, registou uma quebra de facturação de 3,2% para os 3,52 mil milhões de euros. “Esta unidade de negócio enfrentou um ano relativamente turbulento, marcado, por um lado, pela agitação nas compras em supermercados e, por outro, pela paragem dos serviços nas indústrias de catering, hotelaria e eventos. Ainda assim, a queda nos envios verificada nesses sectores foi compensada com a aquisição de novas contas e com a obtenção de maiores volumes de negócio no retalho alimentar. Aqui, refira-se que ao longo do ano a Dachser Food Logistics aumentou a tonelagem transportada em 1,6%”.

Burkhard Eling sublinha que a Dachser não permitiu que a crise do coronavírus ditasse as suas acções. “No ano passado, investimos 142,6 milhões de euros na nossa rede de logística global. Este ano, temos previsto um investimento de cerca de 190 milhões de euros para criar capacidade logística adicional e avançar com a digitalização de processos e modelos de negócio”, avança o CEO da multinacional de logística e transporte. A recém-criada unidade executiva de IT & Development assumirá uma posição de destaque neste investimento.

“O nosso objetivo é preservar os pontos fortes da empresa e, ao mesmo tempo, aumentar a sua agilidade. Por outras palavras, estamos a acelerar a integração das nossas redes e a introdução de tecnologias digitais para uso em áreas como machine learning ou a localização de swap body. Intensificaremos, também, os nossos esforços de sustentabilidade e protecção climática”, antecipa Burkhard Eling. “Nos próximos dois anos, pretendemos começar a expandir as nossas áreas de entregas livres de emissões a, pelo menos, 11 cidades europeias, enquanto implementamos a distribuição com recurso a mais veículos eléctricos e bicicletas de carga eléctricas. Além disso, e enquanto membro da Associação Alemã de Células de Hidrogénio e Combustível, estamos a apoiar ativamente a pesquisa e o teste nesta área“, conclui o CEO da Dachser.

Share This

Partilhar este artigo