A JP Sá Couto, a maior empresa do jp.group, seleccionou a Generix Group para implementar o seu sistema de gestão de armazéns (WMS) e apoiar assim o processo de digitalização e melhoria da supply chain do grupo. O projecto, que já arrancou, terá a duração de nove meses e irá permitir optimizar as operações logísticas da JP Sá Couto.

A JP Sá Couto, empresa portuguesa, com presença internacional e que actua principalmente no sector das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), desafiou a Generix a encontrar uma solução escalável e flexível, capaz de optimizar a gestão dos seus armazéns. Com um conjunto diversificado de negócios, distribuídos pelas áreas da Distribuição, Educação, Serviços TI e Investimentos, a JP Sá Couto quer com este projecto melhorar a performance da sua supply chain, através da implementação de um WMS que possibilite a automatização das suas operações logísticas.

O projecto de implementação do WMS, no modelo SaaS, foi planeado para estar totalmente operacional no prazo de 9 meses e com ele a JP Sá Couto terá a capacidade de automatizar e controlar de uma forma mais eficiente os processos existentes, apostar na automatização e eliminar tarefas não produtivas, bem como melhorar a integração com parceiros e a colaboração com fornecedores. Por sua vez, a implementação da ferramenta TradeXpress, permitirá à empresa a integração de dados e a conexão com os seus diferentes sistemas de informação. A solução da Generix irá incluir ainda um conjunto de indicadores de performance (KPI) para controlo dos principais processos logísticos, em tempo real.

“Num ano altamente imprevisível, as empresas foram confrontadas com alterações profundas nos seus negócios, o que impactou processos, canais de venda e toda a cadeia de valor. 2021 vai ser um ano de superação e transformação”, refere Pedro Gordo, supply chain business manager da Generix Group. “O desafio proposto pela JP Sá Couto, para além de uma demonstração da capacidade de resiliência do nosso tecido empresarial, revela também a importância da aposta em tecnologias de informação, que se traduz em maior produtividade. A implementação de uma solução de gestão de armazéns assume especial importância na resposta às alterações da cadeia de valor e às novas tendências de mercado.”

“A tecnologia e a transformação digital dos processos e operações são fundamentais neste processo de superação, como aliás já o foram ao longo do último ano. Poder contar com uma solução de gestão de armazéns fiável, completa, comunicativa e de rápida implementação, representa uma vantagem significativa para o nosso projecto”, refere Ivone Queiroz, directora de operações da jp.di, Unidade de Negócio de Distribuição de Tecnologia da JP Sá Couto.

 

“Após o arranque e a curto prazo, o objectivo será uma melhoria significativa de produtividade global, conseguida através da automatização de tarefas, alocando os operadores para tarefas de controlo operacional e não para a execução logística. A médio e longo prazo, tanto a Generix como a JP Sá Couto, esperam obter mais benefícios através da melhoria contínua dos processos logísticos existentes, uma vantagem alavancada pela elevada flexibilidade e cobertura funcional da solução WMS da Generix”

Ivone Queiroz, directora de operações

jp.di

Share This

Partilhar este artigo