A entidade pública espanhola ADIF (Administrador de Infraestructuras Ferroviarias), considera que Portugal tem boas condições ferroviárias para avançar com uma ligação entre Portugal e Valladolid, permitindo assim o transporte de camiões em contentores especializados, uma modalidade do sector de mercadorias que os especialistas apontam como sendo uma tendência crescente.

Esta mesma entidade é responsável por analisar as possibilidades desta ligação, já se encontrando a estudar a viabilidade da ligação entre dois dos principais corredores ferroviários de mercadorias, o mediterrâneo e o atlântico, nomeadamente ao nível das condições da infra-estrutura da rota Fuentes de Oñoro-Salamanca-Valladolid-Júndiz (Vitória), de onde seguirá até à fronteira com a França. Neste sentido, a entidade responsável pelas infra-estruturas ferroviárias do país fará um diagnóstico da linha para identificar as acções necessárias para o arranque deste tipo de serviços logísticos, bem como a sua viabilidade técnica e económica.

Ao nível das vantagens do sector, a ADIF defende que em relação aos meios de transporte normais, este meio é mais sustentável do ponto de vista ambiental e económico, mais seguro e viável, apresentando-se como uma alternativa competitiva ao navio, podendo ainda contar com ajudas estatais e europeias.

Para Salamanca, a vantagem seria ao nível da atracção de empresas do sector logístico para a província espanhola, e mais precisamente no Porto Seco e na plataforma logística que a Câmara Municipal de Salamanca está a desenvolver na Zona de Actividades Logísticas de Salamanca (Zaldesa), podendo a partir daí passar para o transporte rodoviário e chegar a outras áreas onde não é possível chegar por comboio.

Para Portugal, Salamanca tem a vantagem de ser um ponto de passagem para a Europa, de mercadorias que chegam de navio aos portos portugueses de Aveiro e Leixões, com os quais mantêm acordos há anos para a promoção do Porto Seco. Outra das vantagens é a electrificação da linha Fuentes de Oñoro e a região de Salamanca, apesar de ainda estar com algum atraso, permitindo assim uma maior rapidez e capacidade de transporte de mercadorias por via ferroviária.

Share This

Partilhar este artigo