Foi a persistência e a colaboração no trabalho em equipa que permitiu a implementação de um novo conceito logístico para o abastecimento das caixas de velocidades do T-Roc da fábrica da Volkswagen, na Argentina, até à unidade industrial portuguesa, localizada em Palmela.

O complexo industrial da Volkswagen Argentina, em Córdoba é, actualmente, o centro mundial de produção de caixas de velocidade do Grupo e, desde Julho, que a Volkswagen Autoeuropa tem recebido caixas de velocidade provenientes da Argentina.

De acordo com a empresa em Portugal, recebem 456 caixas de velocidade, semanalmente, do centro industrial argentino através de transporte multimodal. Entre Córdoba e o porto de Buenos Aires segue pela rodovia e, deste porto até ao de Sines o transporte é por via marítima. Por sua vez, de Sines até à Palmetal, que se situa no parque industrial da Volkswagen Autoeuropa, o transporte é realizado por camião.

Paulo Sousa e Pedro Percheiro, que fazem parte do planeamento logístico, explicam o processo desde o momento em que as caixas de velocidade chegam à Palmetal em embalagens de madeira de 24 ou 36 peças. “São distribuídas para embalagens padrão de seis peças que são as utilizadas nos supermercados de abastecimento da linha de montagem. Esta acção de decantação pressupõe um controlo e seguimento rigorosos por parte do planeamento logístico e material handling sobre os tempos de abastecimento e garantia de qualidade das embalagens da peça”.

De acordo com Paulo Sousa, a Palmetal criou as condições necessárias para receber o projecto, dando sempre uma resposta positiva e rápida.

Este projecto trouxe a oportunidade de desenvolver competências e novos conhecimentos, desde a definição de um conceito logístico inexistente na fábrica até então, ao seguimento de processos alfandegários com especificidades e responsabilidades diferentes das praticadas até agora. Além disso, a retoma da ligação ao porto de Sines, estrategicamente é muito relevante.

Devido à dimensão do novo processo de abastecimento das caixas de velocidades, grande parte da definição do conceito logístico já estava concretizada antes da paragem impulsionada pela COVID-19. Ainda assim, houve processos que colocaram muita pressão à equipa, nomeadamente a contratualização do serviço de transporte e serviços associados ou relativos à disponibilidade de equipamento para decantação.

Contudo, foi a persistência e a colaboração da equipa que permitiu o sucesso da implementação deste novo conceito logístico. A implementação do abastecimento das caixas de velocidade desde a Argentina envolveu grande parte das equipas de logística, nomeadamente do planeamento logístico, do material handling, da pré-série e do planeamento de transportes, e da equipa de finanças responsável pela gestão aduaneira.

“Estabelecer e garantir os contactos e o fluxo de informação entre fornecedor e rede interna foi desafiante. As peças têm sempre de chegar à hora certa e ao lugar certo”.

Marco Costa, da equipa de pré-série

Share This

Partilhar este artigo