Em plena pandemia e no ano em que assinala 40 anos de vida, a Monliz, que integra o grupo belga Ardo, líder em produtos hortícolas ultracongelados, continua a investir e prossegue com a estratégia de investimento e crescimento definida para a sua unidade industrial em Alpiarça.

A Monliz investiu nos últimos dois anos 4.5 milhões de euros no reforço da sua capacidade de embalamento, com um foco muito grande na flexibilidade e eficiência. “Contamos hoje com capacidade para embalar 60.000 toneladas de vegetais ultracongelados, mono produtos ou misturas, branqueados, fritos ou grelhados em embalagens que vão dos 250 gramas aos 25 kg”, salienta Mauro Cardoso, general manager da empresa.

O responsável da Monliz explica ainda que, objectivamente, esse investimento materializou-se numa nova linha de embalamento polivalente e num novo armazém de material de embalagem, com capacidade para cerca de 2000 euro paletes e que foi já graças a esse investimento que a empresa teve capacidade para dar resposta à forte disrupção que a pandemia trouxe, conseguindo manter um nível de serviço elevado aos clientes, mesmo com alterações radicais no mix de vendas.

“Tivemos reduções fortíssimas no canal Food Service, onde o nosso produto é vendido em sacos de 2,5 kg a 10 kg e no canal Industrial, onde, além do produto a granel (± 500 kg), a embalagem mais frequente são os sacos de 25 kg, ainda que para alguns clientes as caixas de 10 kg sejam a embalagem preferencial. Ao mesmo tempo verificámos aumentos repentinos, e muito acentuados, no canal Retail, onde predominam as gramagens mais pequenas (250 gramas a 1 kg). Com o investimento já realizado na flexibilização é-nos possível na mesma linha de embalamento, embalarmos todos estes formatos e assim modular as variações na procura”, acrescenta Mauro Cardoso.

O culminar desta estratégia de investimento é o novo armazém, já operacional, e que “permite optimizar todos os fluxos de materiais e aumentar muito o nível de segurança da operação, quer para os trabalhadores, nossa prioridade, quer para as próprias instalações, dada a elevada carga de material combustível”, como o cartão e plásticos que compõem a maioria do material de embalagem dos produtos comercializados pela Monliz.

Share This

Partilhar este artigo