Como forma de consolidar as operações logísticas que tinha distribuída por seis instalações arrendadas na região de Matosinhos, a TBFiles investiu três milhões de euros para centralizar as suas operações num único armazém de 6.500 metros quadrados em Leça da Palmeira.

Em declarações ao Negócios, Tiago Borges, CEO e fundador da empresa, explica que esta operação implicou a reabilitação de um imóvel devoluto, à semelhança do que a empresa já tinha feito na região de Lisboa em 2014, quando agregou sete localizações num único espaço de 10.000 metros quadrados em Queluz de Baixo.

A empresa encontra-se também a investir na investigação e desenvolvimento de novas ferramentas, como robôs administrativos, “para que as pessoas deixem de fazer o ordinário para fazer o extraordinário”. A empresa, fundada em 2003, pretendia “libertar espaço em escritórios no centro das cidades, mantendo a acessibilidade dos documentos”, e hoje conta com mais de 600 clientes, desde micro a grandes empresas, estando ainda presente em Maputo e Luanda. Tiago Borges admite não estar “activamente à procura de novas geografias”, mas apresenta-se “disponível para um modelo parecido ao de franchising com parceiros credíveis e com vontade de desenvolver o negócio”.

A pandemia de COVID-19 veio quebrar as vendas, tendo a maior sido registada em Junho, com menos 10%, mas o CEO mostra-se confiante de que até ao final do ano será capaz de repor a normalidade. Como lado positivo, apresenta a abertura a uma nova área de gestão documental de forma electrónica, projectos que “estavam na gaveta e acabaram acelerados” pela pandemia, depois de verem “muitos dos processos altamente comprometidos”, em registo físico.

De acordo com as revelações de Tiago Borges à fonte referida, o CEO antecipa uma nova vaga e aproveita para avançar com os projectos que tinham sido adiados para mais tarde: “considerando o risco de voltar a acontecer, estão a preparar-se para um novo modelo de negócio. Estamos com alguns ‘pilotos’ na mesa e a arrancar este mês com empresas muito grandes, novos clientes. Só estes projectos podem permitir um crescimento muito significativo em 2021. (…) Sinto no mercado que temos condições para duplicar vendas em dois anos”, avança, e destaca que houve um aumento da procura por parte dos contabilistas, em que “70% do trabalho é inserir dados num sistema informático e querem estar menos dependentes de tarefas que não são ‘core’”.

Share This

Partilhar este artigo