No passado dia 10 de Setembro o Grupo DIA, detentor da marca Minipreço em Portugal, reuniu cerca de 800 fornecedores e franquiados através de uma videoconferência, com o propósito principal de dar a conhecer as linhas mestras do plano estratégico da empresa e das mudanças em curso no Grupo. O intuito é manter e intensificar a rota de crescimento das operações da empresa em Portugal.

Presentes nesta reunião e na conferência de imprensa que se seguiu estiveram os representantes Stephan DuCharme, presidente executivo do Grupo DIA, e Miguel Guinea, presidente executivo da DIA Portugal, que falaram em primeira mão sobre a nova estratégia.

Esta aproximação aos fornecedores foi precisamente uma das mudanças estratégicas da empresa apresentadas por Stephan DuCharme, explicando que assenta em três pilares fundamentais de actuação: Comercial, Franquia e Operações.

Ao nível comercial, destaca o novo conceito de loja, que envolve desde renovações, relocalizações e mesmo novas aberturas até 2023; o reforço da marca própria com a introdução de “um conjunto significativo” de novas referências; alargamento da cobertura do comércio electrónico, aposta recente a nível nacional; optimização do sortido em loja indo ao encontro das necessidades específicas do cliente em cada ponto do país; e o desenvolvimento de um novo programa de fidelização que apoie o novo conceito de loja. Helena Guedes, directora comercial da DIA Portugal, comenta ainda que “também queremos trabalhar com marcas nacionais”, reforçando assim a aposta nos produtores nacionais.

No que diz respeito à franquia, o novo modelo da DIA já tem a sua implementação terminada, e têm a decorrer um novo programa de captação de franquiados para manter a liderança da marca minipreço neste segmento em Portugal. Miguel Silva, director de operações da DIA Portugal, reforçou o empenho da empresa na rede de franquia com um novo modelo, mais transparente, que irá potenciar as vendas, mantendo o foco no cliente e nas suas necessidades, garantindo assim uma excelência operacional.

Wojciech Benn, director de Franquia e Expansão, intensificou a mensagem de que o crescimento da rede de franquia da DIA é um dos principais objectivos da empresa e que com o novo modelo, em conjunto com as melhorias ao nível formativo, maior envolvimento com a rede, com focus groups e convenções próprias, e com o desenvolvimento digital, até 2023 o objectivo seja concretizado.

Sobre as operações, o presidente executivo do Grupo DIA abordou a contínua optimização dos processos logísticos, reduzindo a complexidade das operações, do inventário e melhorias na cadeia de fornecimento.

 

Miguel Guinea destaca que “os números da operação portuguesa revelam que estamos no bom caminho, mas ainda temos um longo percurso pela frente. É fundamental reforçar que o projecto de melhoria da oferta de frescos, a revisão de sortido e o novo modelo operacional estão na base do crescimento da insígnia Minipreço em Portugal e que os números do 1.º semestre de 2020 já reflectem o impacto destas mudanças”.

Defende ainda a ideia de que a pandemia acelerou o processo de digitalização e lançaram o site Minipreço.pt ainda antes do pretendido, em finais de Junho. “Todos sabemos que a pandemia de COVID-19 obrigou a DIA Portugal a reinventar-se em todos os sentidos, mas que a empresa nunca perdeu o foco, protegendo clientes, colaboradores e franquiados, mantendo lojas abertas, abastecidas e em pleno funcionamento e implementando projectos de responsabilidade social de apoio à população portuguesa e para o relançamento da economia nacional”, conclui.

Recorde-se que em finais de Abril a marca estabeleceu uma parceria com a Glovo, em finais de Junho lançou o seu site e em Julho criou uma parceria com o DOTT. Devido à pandemia a marca sentiu a necessidade de retomar os testes que já tinha iniciado, mas que foram interrompidos para reforçarem a aposta nos frescos. Neste momento, o Minipreço faz entregas em Lisboa através de três lojas e de frota própria, estando-se a estender agora para Oeiras e para a Amadora, e procurando ampliar na zona da Grande Lisboa.

A empresa também revelou que futuramente tencionam chegar ao Grande Porto e, numa fase mais avançada, suportar o online através da proximidade das suas 568 lojas a nível nacional, reforçando os stocks em loja, mas que ainda não tem previsão para quando será, procurando ir “passo a passo”.

Helena Guedes apresentou as principais medidas em curso no Grupo para intensificar o plano de crescimento da operação nacional:

  • Fortalecer o sortido, estudando, comparando e unificando a oferta em loja, optimizando a profundidade e amplitude em função do tamanho da loja, reduzindo a complexidade e melhorando a cadeia de abastecimento;

  • Melhorar a dinâmica promocional, garantindo as promoções mais eficientes em estreita parceria com os fabricantes, melhorando a planificação e reduzindo a complexidade;

  • Revitalizar o Clube Minipreço, modernizando a imagem e as funcionalidades da App, com aumento de investimento em publicidade e presença nas redes sociais;

  • Consolidar o projecto de frescos com foco na qualidade e frescura dos produtos disponibilizados nas lojas, com colaboradores de loja dedicados a esta categoria e entregas 6 vezes por semana em todas as lojas;

  • Evoluir no e-commerce, intensificando o alcance e metodologia da oferta, com foco no cliente, assim como na relação 1 para 1;

  • Transformar a marca própria com o objectivo de ser a melhor oferta do mercado em termos de qualidade, com um packaging moderno, atractivo, adaptado e sustentável;

  • Reforçar a cooperação com as marcas, com mais informação e mais promoções, com reforço da comunicação e publicidade.

Share This

Partilhar este artigo