Quem também marcou presença na Procurement Digital Conference, foi António Loureiro, Senior Manager na Primavera Consulting, que trouxe o tema ‘Agilidade e Mobilidade nos Processos de Compras’.

Dado o mote desta sessão, António Loureiro achou relevante iniciar a sessão através de um contexto tecnológico, onde referiu alguns conceitos importantes e como estes se aplicam ao procurement, salvaguardando a ideia de que “o procurement não é só tecnologia, também são as pessoas”.

Cloud, mobile, IoT, automatização, machine learning e big data são alguns dos conceitos, e, agora, as empresas estão a começar a adoptar este tipo de algoritmos para potenciar os processos. Para perceber como é que o machine learning pode ser adoptado no processo de procurement, o Senior Manager dá um exemplo: todos os meses recebemos a factura da electricidade com um valor constante. Se num determinado mês esse valor sobe e no mês seguinte volta à normalidade temos aqui uma falha. Este exemplo é válido para o processo de procurement, pois gera insights para os utilizadores das plataformas perceberem se está tudo correcto, e para se perceber como é que se aplicam estes conceitos no procurement.

De seguida, António Loureiro apresentou uma arquitectura de soluções para a indústria, onde se destaca a plataforma OMNIA da Primavera. Esta é uma plataforma de desenvolvimento ágil que permite fazer o desenvolvimento relativamente rápido com poucos conhecimentos básicos de programação. O principal objectivo é a consulta mais minuciosa dos dados da empresa de uma forma global.

Os principais desafios para as empresas de indústria na arquitectura apresentada passam por: operações demoradas, erros nas encomendas e stocks, a componente de rastreabilidade e histórico e a partilha no acesso à informação.

Por sua vez, foram ainda demonstradas as principais funcionalidades da plataforma OMNIA Procurement, como requisições internas, pedidos de encomendas e de cotações a fornecedores, rastreabilidade de documentos, entre outras.

Este processo de procurement proporciona uma maior eficiência, uma vez que é uma solução em real time e uma maior agilidade por via da mobilidade, visto que se trata de uma plataforma acessível através de qualquer dispositivo. Irá ainda aumentar a competitividade, pois “todos queremos comprar mais rápido e barato”, ou seja, decidir a compra com base em factos que contêm toda a informação que necessitamos, e “quando compramos mais rápido e mais barato, vamos maximizar a venda futura”, refere.

No final da sessão, quando questionado sobre quais as vantagens de ter uma plataforma de procurement integrada de forma praticamente online com um ERP da empresa, António Loureiro aponta a rapidez da actualização dos dados, a agilidade, e redução de falhas, pois todos os processos que se podem fazer na plataforma da OMNIA Procurement, também podem ser realizados em backoffice.

Share This

Partilhar este artigo