Foi inaugurada no passado dia 22 de Maio, e hoje apresentada a público via Zoom com transmissão em directo para o Facebook, a plataforma multi-produto SmartFarmer, um projecto da Oikos – Cooperação e Desenvolvimento, que tem como objectivo apoiar os pequenos e médios produtores agro-alimentares através da migração para o digital.

A plataforma online procura, por um lado, alavancar as vendas dos produtores através da venda online e, por outro, criar relações de proximidade e transparência entre estes e os consumidores, consolidando num único espaço vários produtores de diversas regiões. Ao nível da transparência, a plataforma dá a conhecer as informações sobre o produtor, localização e métodos de produção, ingredientes e alergénios, entre outras informações básicas sobre os produtos, custos e formas de envio.

A venda dos produtos pode ser feita directamente do produtor ao cliente ou de forma indirecta, através de um intermediário, privilegiando a proximidade geográfica e relacional entre as partes envolvidas. Entre os produtos individuais disponíveis na plataforma também se encontram packs e cabazes com preços mais económicos para o cliente.

Ao mesmo tempo que facilita a conectividade entre as partes, a plataforma também facilita o acesso a meios de transporte, espaços de processamento e de armazenamento, e outros recursos essenciais para garantir a sustentabilidade do negócio.

Relativamente ao transporte, contam com uma rede de transporte para responder com a qualidade e o rigor associado a determinados produtos, nomeadamente os perecíveis, e que opere nas regiões do continente, ilhas e Europa. João Fernandes, presidente do conselho directivo da Oikos e co-fundador da SmartFarmer, explica que existem processos que exigem uma maior atenção, como por exemplo os frescos, ou para os vinhos, que por ser um produto frágil, requer outros cuidados no embalamento. Através de uma rede de transportadores procuram conseguir garantir não só esses requisitos como também uma grande abrangência a nível nacional de modo a chegar a todos os cantos do país.

É ainda possível comprar os produtos online e ir levantar a alguns pick-up points, dando como exemplo a Feira do Sabugal, onde as pessoas podem ir levantar os seus produtos sem custos de envio, ou em Lisboa, encomendando através da Casa do Concelho do Sabugal, levantar na Avenida Almirante Reis, em que são feitos vários envios para este local e os clientes ficam também livres de custos adicionais.

João Fernandes explica que “a plataforma está desenhada para ter dois processos de logística básicos distintos”, sendo que num o produtor pode querer vender na sua própria exploração e enviar directamente, através das suas parcerias, e noutro onde pode recorrer à rede de parceiros da SmartFarmer, e aí trabalham com as transportadoras existentes no mercado. “Há muito trabalho offline de apoio feito aos produtores”, explica o responsável.

Para o produtor, ao criar a sua conta tem acesso a um backoffice onde pode fazer upload dos seus produtos, gerir as suas encomendas e envios, clientes, devoluções, pagamentos, movimentos, entre outras informações restritas.

João Fernandes salienta ainda que é feito um processo de verificação dos produtores, ou pela plataforma ou através de um dos parceiros, de forma a conhecer a produção dos inscritos, sendo assinada uma carta de compromisso com o produtor para garantir uma maior confiança com os próprios, e reconhece a importância deste compromisso comentando que, em caso de falha injustificada, o produtor se encontra directamente excluído da SmartFarmer.

“É uma plataforma que vem, em primeiro lugar, valorizar aquilo que é a produção local e regional dos territórios”, comenta João Fernandes, acrescentando que se encontram “a desenvolver algumas parcerias, nomeadamente para trazer frutas e legumes, que é uma coisa mais difícil, mesmo do ponto de vista logístico”.

Share This

Partilhar este artigo