Num cenário normal, alguns dos grandes desafios na indústria alimentar são a gestão de bens perecíveis e a necessidade de cumprimento de normas rigorosas de qualidade e segurança alimentar. Devido à pandemia, este sector vive agora um dos momentos mais desafiantes, mas nem tudo é mau. Há oportunidades que estão a surgir e que devem ser encaradas como soluções eficientes para dar resposta aos desafios da chamada Indústria 4.0.

As empresas devem agora redesenhar os seus processos e aproveitar os benefícios da tecnologia para os seus negócios. IoT, manutenção preditiva, sensores inteligentes, cloud, big data e inteligência artificial são algumas das soluções ao dispor das organizações.

Segundo apura o Jornal Económico, num estudo sobre o sector alimentar numa era pré-COVID-19, sabe-se que 40% das empresas estão reféns de sistemas de informação fragmentados e tecnologicamente obsoletos, aplicações externas com um reduzido nível de integração e, como consequência, dados desactualizados e de difícil interpretação.

As três partes deste triângulo (as pessoas, os processos e a tecnologia), devem estar alinhadas, pois, se assim não for, haverá dificuldade em obter dados e indicadores de negócio completos e em tempo útil, impedindo que se tomem decisões rápidas, gerando ineficiências ao logo da cadeia de valor.

Quando os processos empresariais não estão sustentados em sistemas e tecnologias de informação consistentes, a adopção de novas tecnologias pode até ter efeitos contrários aos desejados, gerando ainda mais caos e ineficiência.

O Coronavírus instalou-se no mundo e antecipou muitas mudanças que estavam em curso e outras ainda se encontravam numa fase primária. De acordo com o Jornal Económico, a História parece mostrar que acontecimentos como guerras e pandemias não criam tendências, mas aceleram as que já existem, e a Indústria 4.0 é um caso paradigmático.

As empresas que se mostram mais bem preparadas são as que dispõem de um Sistema de Informação Inteligente capaz de processar, analisar e actuar sobre grandes volumes de dados gerados pela IoT, em tempo real. Através desta solução tecnológica, a multiplicidade de dispositivos e equipamentos conectados em permanência, desde o chão de fábrica até aos pontos de distribuição e venda, permitirão a recolha imediata de dados.

Neste sistema, na gestão dos processos empresariais e na criação de transparência na cadeia de abastecimento, é garantido o controlo total da qualidade e rastreabilidade alimentar.

Por outro lado, a robotização e automação de processos repetitivos, de reduzido valor acrescentado, permitirá libertar recursos para outras tarefas e processos, onde o factor humano é indispensável à criação de valor para a empresa.

Share This

Partilhar este artigo