Segundo os resultados do “The Conference Board® Global Consumer Confidence Survey”, conduzido em colaboração com a consultora Nielsen, o grau de confiança registado pelos consumidores portugueses manteve valores ligeiramente acima da média europeia: os bens de grande consumo apresentam, no primeiro trimestre do ano, o maior crescimento em valor dos últimos anos (+14,5%) – o terceiro mais elevado entre os 21 países analisados no estudo.

Portugal obteve o valor de 90 pontos, revelando uma ligeira quebra face aos trimestres anteriores, mas mantendo a “marca” dos 90 pontos atingida ao longo do último ano. No entanto, é de mencionar que o trabalho de campo deste inquérito terminou no final de Fevereiro, não reflectindo, por isso, os impactos da Covid-19.

Como explica a Retailer Vertical Director da Nielsen Portugal, Ana Paula Barbosa, “as vendas dos bens de grande consumo, no primeiro trimestre de 2020, são impactadas pelo efeito da pandemia Covid-19, particularmente no que respeita ao factor volume. Este período foi marcado por uma clara preocupação em armazenar produtos considerados essenciais para fazer face às medidas de confinamento instauradas. Destaca-se de forma notória, entre as semanas 9 e 11, uma preocupação entre os consumidores em encher a despensa, sobretudo visível nas categorias de Cuidado Pessoal, Cuidado do Lar e Alimentos, para se prepararem para a quarentena. A semana 11 impactou especialmente o primeiro trimestre, com um crescimento de 65% em valor em relação ao período homólogo”.

No que diz respeito às marcas próprias, estas apresentaram-se as mais dinâmicas (+18,6%), embora as de fabricante tenham também crescido no primeiro trimestre (+12,2%). Numa análise por categoria, destacam-se com crescimentos em valor mais elevados os Alimentos Congelados (+24%), a Higiene do Lar (+18%) e a Mercearia (+16%).

Share This

Partilhar este artigo