Com o objectivo de reduzir as emissões de CO2 das operações logísticas, a Volvo Cars está a utilizar a ferrovia, em vez dos camiões, para transportar os veículos novos provenientes das suas fábricas.

Segundo a empresa, ao implementar esta medida já foi possível diminuir as emissões de CO2 em quase 75% no trajecto entre a fábrica em Ghent, na Bélgica, e um depósito de viaturas construído especificamente para o norte de Itália. Por sua vez, numa outra rota desde Ghent até outro depósito na Áustria, as emissões foram reduzidas em quase metade desde a mudança para a ferrovia.

Esta iniciativa está incluída no plano de acção climática que a Volvo Cars desenhou para este ano, onde se pretende reduzir a pegada carbónica do ciclo de vida por viatura em 40% entre 2018 e 2025, o que exigirá uma redução de 25% nas emissões operacionais, incluindo na logística.

“Quando dissemos que planeávamos reduzir significativamente as emissões em todas as nossas operações, estávamos a falar a sério”, afirma Javier Varela, Vice-Presidente Sénior da Produção e Logística da Volvo Cars.

A empresa também pretende utilizar o transporte ferroviário na China e nos Estados Unidos, uma vez que, na China, os veículos são transportados desde as suas fábricas até Ghent, através de comboio duas vezes por semana. Por outro lado, a fábrica da Carolina do Sul, nos EUA, aproveitou uma rede de transporte de mercadorias ferroviária que leva os novos carros para um depósito de veículos em cidades da América do Norte. Actualmente, estes comboios substituem o equivalente a dezenas de camiões por semana.

Share This

Partilhar este artigo