Fazer a gestão de compras em tempos de crise não é fácil. É verdade que o cenário atual tem deixado muitas empresas alerta e, com isto, inúmeras questões começam a surgir.

Que medidas são necessárias para que não falte fornecimento, em tempos de crise? O que deve ser priorizado em cenários de instabilidade? Como encontrar fornecedores em momentos de urgência?

Estas e outras questões foram respondidas por Luiz Gastão Bolonhez, VP do ME Brasil, e Genésio Couto, VP Suprimentos, TI e Comunicação da Atvos, num webinar recente. No artigo de hoje poderá ler o resumo e os principais insights desta conversa.

Em compras B2B, o primeiro passo para amenizar os impactos da crise é conversar e ouvir os compradores. É preciso ter uma comunicação clara para esclarecer dúvidas e receber feedbacks.

É importante o contacto visual também, para entender o ânimo de cada profissional. Por isso, as reuniões feitas por video-conferência podem ajudar muito.

Trabalhar à distância não é fácil, mas é um desafio que tem vindo a ser aceite por todos.

O teletrabalho afasta os profissionais ao mesmo tempo que os aproxima, tudo depende do quão presente é a liderança, e tipo de ações serão feitas para definir as rotinas de trabalho da equipa. Reuniões de alinhamento diárias ou semanais são sempre uma mais valia neste caso.

Digitalização da área de compras
Sabemos que o mundo não ficará igual após esta crise na saúde e na economia. Mas, para minimizar as mudanças, é necessário digitalizar a área de compras e ter compradores bem informados e comprometidos com o negócio. Esta digitalização permite que a operação da empresa não pare, amenizando os problemas que enfrentam devido à Covid-19.

A tecnologia automatiza e deixa a área mais fluida, permitindo que as ações sejam feitas à distância, sem prejudicar o evolução dos negócios. Podemos afirmar que, as empresas que já se encontram digitalizadas estão numa posição privilegiada relativamente a outras que ainda não evoluíram o seu processo.

Agora é normal que possa faltar algum produto ou matéria-prima.Infelizmente, este tipo de escassez causa alguma insegurança, pois é possível que algumas empresas tenham dificuldades de encontrar determinados produtos com os fornecedores para dar continuidade às operações.

Por isso, é normal que as empresas procurem novos fornecedores para combater esta carência. Porém, é preciso ter transparência na modificação do processo, ter comunicação e integridade.

Não há problema em procurar novos fornecedores para a matéria-prima, desde que , o requisito compliance esteja presente em todo o processo para garantir agilidade e a conformidade das operações.

A rotina das empresas mudou. Se continua a atuar da mesma maneira que atuava antes, não conseguirá adaptar-se a este novo cenário. Agora é preciso pensar e agir de maneira diferente.

Para combater as dificuldades, começar por ter uma plataforma digital é fundamental. Conseguirá ter o controlo dos fornecedores homólogos da sua base e poderá alertá-los das suas necessidades, acabando por despertar o interesse do mercado. Só conseguirá relacionar-se e fazer novos negócios, a partir do momento que avisar os fornecedores sobre as suas novas necessidades.

Mercado Eletrônico

Share This

Partilhar este artigo