A DHL Supply Chain divulgou ontem que menos de 5% dos cerca de 500 trabalhadores da sua plataforma da Azambuja estão infectados com Covid-19.

Realizados os testes a todos os colaboradores, a DHL Supply Chain decidiu tornar públicos os resultados, depois de o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP) ter divulgado, há uma semana, a existência de pelo menos dez casos.

“A DHL Supply Chain confirma que os resultados dos testes mostram que o número de infecções por Covid-19 é inferior a 5% da força de trabalho naquele local”, adianta a empresa.

Apesar de terem sido detectados à volta de 25 casos, a empresa assegura que continua a trabalhar sem qualquer interrupção. “Continuamos a trabalhar em estreita colaboração com a DGS para detectar e deter possíveis cadeias de infecção. Para proteger os nossos colaboradores, tomámos as precauções preventivas possíveis em todas as áreas, com base nas recomendações de saúde”, revela o operador logístico.

Entretanto, o CESP fez chegar um pré-aviso de greve à administração a dar conta que será realizada, entre 22 e 26 de Junho, uma greve parcial, entre as 09h00 e as 10h00, conforme comunicado divulgado no seu site. O sindicato reivindica um aumento salarial de 90 euros por mês para todos os trabalhadores, assim como condições de saúde, higiene e segurança e avaliação dos riscos nos locais de trabalho.

Share This

Partilhar este artigo