Os hiper-mercados Continente adquiriram mais de 71 milhões de euros à produção nacional com o objectivo de ajudar o sector a escoar os produtos durante a pandemia.

Entre Janeiro e Março deste ano, a marca comprou mais de 71,3 milhões de euros em produtos made in Portugal, sendo que adquiriu mais cinco milhões de euros em bens agro-alimentares no primeiro trimestre de 2020 em relação ao ano anterior.

Num dos sectores que registou mais procura, o das frutas e legumes, as compras nacionais representaram um crescimento superior a quatro milhões de euros em comparação com 2019, superando os 28 milhões.

Desde que o vírus chegou ao nosso país, o Continente contactou produtores nacionais de carne e associações do sector para o escoamento do excesso de produção e adquiriu mais 1500 toneladas de carne nacional entre Janeiro e Março, em relação ao ano passado, representando 37 milhões de euros e um peso de 80% no total de compras neste segmento. No que diz respeito à carne de bovino, em particular, a marca triplicou o valor comprado a produtores nacionais e, do total de frango disponível nas lojas, 92% é de origem portuguesa.

Já o pescado, é comprado diariamente em 14 lotas nacionais e, em 2020, essas compras já atingiram um volume superior a 550 toneladas. Segundo a empresa, a compra de espécies como robalo, dourada, pregado e truta a projectos de aqua-cultura portugueses aumentaram em mais de metade. O Continente informa que o valor continuará a crescer, pois está a participar no desenvolvimento de um projecto deste tipo, que irá produzir cerca de 1200 toneladas de dourada portuguesa a partir do segundo trimestre do ano.

Em duas semanas, a marca também integrou 40 novos membros no Clube de Produtores Continente (CPC), uma estrutura de apoio à produção agro-pecuária nacional. Este projecto criou ainda um programa de pagamentos antecipados aos pequenos produtores de forma a ajudá-los nas suas condições de tesouraria.

Share This

Partilhar este artigo