A Jungheinrich, face à situação da epidemia global e consciente do seu papel na cadeia de abastecimento, irá manter os serviços pós-venda a funcionar, entre eles o centro de atendimento (via e-mail ou telefone), a disponibilidade de técnicos de manutenção, bem como disponibilidade e reforço do stock de peças para a execução das intervenções, oficina interna e serviços administrativos.

Uma vez que os fornecimentos das superfícies alimentares se iniciam nos armazéns de distribuição, estes só podem continuar a operar se os equipamentos de movimentação de cargas, particularmente empilhadores, estiverem a funcionar e com as devidas condições de segurança, explica Mário Reis, Director do Serviço pós-venda da Jungheinrich Portugal. É, por isso, importante manter a actividade da empresa em funcionamento.

Assim sendo, “neste enquadramento difícil, a Jungheinrich não prevê a paragem da sua actividade e estará disponível para responder às necessidades dos clientes. Apesar do risco, existe um compromisso muito elevado da nossa equipa de operações (técnicos) visto que entendem a importância do seu trabalho”, acrescenta.

Embora todos os sectores de actividade estarem a solicitar estes serviços, é no retalho alimentar que se regista maior procura. Caso seja necessário definir prioridades, as opções recairão sobre as empresas da área farmacêutica, logística e retalho alimentar, afirma o responsável.

Share This

Partilhar este artigo