A IGT Global Solutions voltou a ser a escolha da Santa Casa, após um concurso público que venceu em 2016 no valor de 28,5 milhões de euros para o fornecimento de bilhetes de lotaria instantânea, as chamadas “raspadinhas”, durante três anos. O contrato agora estabelecido com a empresa norte-americana é para o fornecimento desses mesmos bilhetes e serviços associados, num valor de 3.752.600 euros.

O contrato foi divulgado esta semana no portal de contratação pública BASE, tendo decorrido por ajuste directo com uma entidade que já tinha contractos do mesmo tipo com a Santa Casa, vigorando durante quatro meses.

Este contrato prevê diversas penalidades em caso de atrasos no fornecimento, podendo ser equivalentes à totalidade do fornecimento caso este se atrase por um período superior a 20 dias, ou de inconformidade dos bilhetes. No caso de ser levantada a suspensão que impende sobre um procedimento aquisitivo anterior ou transitar em julgado a decisão sobre a acção de impugnação que impende sobre esse fornecimento, este contrato terminará num prazo de dez dias.

Segundo dados de 2018, os últimos disponíveis até à data, as raspadinhas foram as responsáveis pela maior parte das receitas da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, representando uma facturação de 1.574 milhões de euros.

Share This

Partilhar este artigo