A cadeia de supermercados Sainsbury’s anunciou que iria eliminar totalmente as emissões de gases com efeito de estufa ao longo de todo o negócio e operações até 2040.

Através de um investimento de 1,19 mil milhões de euros, a empresa compromete-se a atingir a neutralidade carbónica nos próximos 20 anos, propondo-se a implementar um programa de alterações que se concentra não só na redução de gases com efeito de estufa, mas também do desperdício alimentar, das embalagens de plástico ou do consumo de água.

Apesar destas medidas preventivas, John Perry, Director da Cadeia de Aprovisionamento e Logística da Scale, refere que esta aposta por parte da Sainsbury’s omite as promessas relacionadas com a melhoria das credenciais ambientais da sua rede de aprovisionamento, responsável pela maioria das emissões “para assumir compromissos de neutralidade de carbono que atinjam ganhos significativos e duradouros, as empresas têm de garantir que a sua postura está devidamente reflectida na sua rede de aprovisionamento, o que significa uma parceria com fornecedores que partilhem os mesmos valores e objectivos sustentáveis”, explica.

Assim sendo, John Perry acredita que o esforço sustentável de um negócio só é verdadeiramente credível através de uma parceria coesa entre retalhistas e fornecedores “as empresas têm de privilegiar mais relações estratégicas duradouras, de modo a apoiar ideias para o longo prazo e o consequente investimento em iniciáticas sustentáveis. Estabelecendo e comunicando expectativas através de um código de conduta dos fornecedores é uma forma particularmente eficiente para os negócios envolverem a respectiva rede de aprovisionamento nos seus esforços sustentáveis”, acrescenta.

Por sua vez, a organização Carbon Trust admite que cerca de 80% do impacto de carbono total de uma empresa está para além do seu controlo operacional directo.

Share This

Partilhar este artigo