Sabia que o segundo principal factor de risco, de acordo com uma pesquisa realizada pelo GVcelog com gestores brasileiros, é a relação com os fornecedores?

Mais de um terço dos entrevistados relataram que já tiveram problemas significativos com sua cadeia de fornecedores nos últimos meses. O que não é surpreendente, devido à dificuldade em fazer esse tipo de gestão.

Por outro lado, um estudo feito pela empresa de consultoria norte-americana, Future Purchasing Consulting, demonstrou que as companhias que adoptam programas de gestão de fornecedores geram, em média, um valor adicional de 23% em sua renda.

Não é de hoje que as tecnologias vêm suportando as actividades empresariais e optimizando os processos nas companhias. Neste artigo, irá descobrir como algumas práticas da gestão de fornecedores podem facilitar a rotina da sua empresa. Confira!

5 práticas que comprovam que a Gestão de Fornecedores facilita o dia-a-dia das empresas:

1 – Registo de Fornecedores

Este processo permite a interacção entre o comprador, fornecedor e bases externas. Por sua vez, estas integrações facilitam garantir a eficácia das informações.

É no registo que verificamos se a empresa está legalmente constituída junto aos órgãos públicos competentes.

2 – Homologação de Fornecedores

Na Homologação são verificados aspectos fiscais, trabalhistas, financeiros, técnicos operacionais, ambientais, além do atendimento às normas internas dos compradores para promover a adequação aos objectivos e directrizes da organização.

3 – Avaliação de Fornecedores

Ao longo do período de fornecimento, a performance do fornecedor pode ser avaliada por meio de questionários respondidos pelos requisitantes, gestores de serviços e pelos próprios fornecedores.

Todas as respostas são convertidas em notas que permitem a criação de um ranking, dos melhores para os piores.

4 – Gestão de Terceiros

Esta prática automatiza e simplifica o processo de gestão e controlo de informações de companhias e colaboradores terceirizados. Isso ajuda a reduzir os riscos da co-responsabilidade trabalhista.

Neste processo, o responsável pelo contrato disponibiliza o ambiente à empresa contratada, que irá cadastrar todos os terceiros alocados no cliente, passando a enviar regularmente as informações trabalhistas e de saúde e segurança do trabalho.

5 – Inspecção

A prática de Inspecção permite configurar diversos processos relacionados às visitas técnicas, que auxiliam no controlo e na consolidação das informações geradas durante as auditorias.

O responsável pela inspecção inclui no sistema todos os dados relativos às visitas, permitindo que gestores e o próprio fornecedor, quando for o caso, acompanhem os resultados. Essas actividades podem ser executadas internamente ou delegadas para empresas especializadas, mantendo as informações centralizadas num único sistema.

Mercado Eletrônico Portugal | Adaptado de: blog.me.com.br

Share This

Partilhar este artigo