O director da subsidiária no médio oriente da Zebra Technologies Corporation, Hozefa Saylawala, revelou quais as suas premonições para as tendências tecnológicas dos mercados do retalho e da logística neste ano que agora inicia. Entre as principais, encontramos a blockchain, automatização inteligente e tecnologias analíticas avançadas.

Embora já se encontre a ser estudada há algum tempo e seja uma área em que muitas empresas se encontram a investir nos dias de hoje, o responsável da empresa ainda considera que a blockchain se encontra numa fase inicial, e que em 2020 a aposta nesta tecnologia irá ser ainda maior, nomeadamente em termos de rastreabilidade.

“Tornou-se uma área crítica para as empresas dominarem os dados que possuem relativamente aos seus direitos de utilização, privacidade de dados e segurança à medida que a melhor experiência de cliente de categoria se torna cada vez mais orientada por dados”, explica Hozefa Saylawala.

No caso do sector alimentar, o director antecipa um aumento na legislação envolvendo a segurança dos alimentos a nível global, procurando obter uma maior transparência para os produtos e criar uma maior confiança para o consumidor final.

Através de ferramentas de análise avançadas, as empresas também procuram novas soluções tecnológicas de atribuição de tarefas automaticamente aos seus colaboradores, com base em inteligência artificial.

Refere ainda o uso da IA com base na visão computacional através de scanners, sensores ópticos e robôs, podendo com isso não só monitorizar os seus ambientes e fluxos de trabalho de modo a automatizar a tomada de decisões e melhorar a experiência do cliente, mas também desenvolver um sistema de lojas sem caixas de pagamento, que já se encontra a ser utilizado num número muito reduzido de lojas pelo mundo.

Destaca ainda o acesso em tempo real à informação através de RFID e tecnologias de visão computacional, e o director comenta que devido a essa tecnologia “as empresas precisam de implementar soluções completas que consigam recolher informação e processar automaticamente dados em bruto em insights accionáveis, aumentando assim a eficiência”.

“Estas são apenas três das principais tendências que pensamos irem ajudar as empresas nas suas missões para se tornarem mais inteligentes em 2020 e além”, conclui Hozefa Saylawala.

Share This

Partilhar este artigo