O Grupo Luís Vicente espera um crescimento de 30% até ao final do ano, impulsionado pela nova marca ‘Maria’, na qual investiram 250 mil euros no ano passado na sua criação e apoio, com o objectivo de destacar a produção nacional.

Segundo avança o grupo, “a fruta portuguesa tem um peso cada vez mais significativo no negócio total da empresa e para 2019, o Grupo Luís Vicente prevê um crescimento de 30% na produção nacional, alavancado na nova marca ‘Maria’ ”, que para além do mercado nacional já se encontra também presente em mais 10 geografias, “que representam 70% do total da comercialização da gama”, referindo ainda no mesmo comunicado que a produção e comercialização de fruta nacional atingiu as 15 mil toneladas neste ano, origem esta que “representa 35% do total de facturação do Grupo”.

Com mais de meio século de experiência, o grupo é responsável pela produção e comercialização de mais de 70 mil toneladas de frutas e legumes em todo o mundo, num total de 20 variedades, exportando para países como o Canadá, Espanha, Holanda, Reino Unido, Rússia, Marrocos, Angola, Dubai, Singapura ou Malásia, entre outros.

Em Portugal, a produção está maioritariamente concentrada na região do Oeste e na herdade de Ferreira do Alentejo, num total de 670 ha de produção. Para controlar a cadeia de valor e garantir maior capacidade de conservação, o Grupo detém actualmente 2 centrais fruteiras na zona Oeste dedicadas exclusivamente à produção nacional. A mais recente foi adquirida em 2018 e está localizada na Abrunheira. Neste momento o grupo tem capacidade para trabalhar e conservar mais de 14.000 toneladas.

Share This

Partilhar este artigo