O Conselho Regional do Norte formulou uma estratégia global para aquela região, no intuito de atrair os próximos fundos comunitários.

No topo dos objectivos está a modernização da linha do Douro e da linha Porto-Vigo para ligar o Norte à alta velocidade espanhola. Outros objectivos passam por melhorar a articulação da ferrovia com os portos de Leixões e Viana do Castelo, apostar na valorização do rio Douro como via navegável e promover investimentos em aeródromos, nomeadamente em Bragança e Vila Real.

Por outro lado, a organização Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular – uma associação transfronteiriça de Direito público que integra municípios e outras entidades da região Galiza e Norte de Portugal – solicitou à Infraestruturas de Portugal “informação oficial” acerca das notícias de atrasos nas obras de eletrificação da linha do Minho. Saliente-se que a conclusão da electrificação do troço Viana do Castelo – Valença estava prevista para o 2.º semestre de 2020, mas foram já publicamente admitidos atrasos nesta e em várias outras obras.

Contudo, o ministro das Infra-estruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, já afirmou que “não há nenhuma obra cancelada, nenhuma obra suspensa, o que temos são atrasos nas obras…”, enumerando um conjunto de causas para os mesmos.

Share This

Partilhar este artigo