De acordo com os cálculos recentes da Lusa, baseados nos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), as compras de Portugal a Angola aumentaram em cerca de 30% ao longo dos primeiros três trimestres do ano, para 878 milhões.

Apenas no mês de Setembro verificou-se uma subida no valor das compras a Angola para os 163,5 milhões, mais 6.700% que no mesmo mês do ano passado, em que se verificaram compras na ordem dos 2,4 milhões.

Enquanto isso, as exportações para esta país diminuíram de 112 milhões para 86,8, o que inverteu completamente a balança comercial entre os países, que beneficiava Portugal em 110 milhões e passou a favorecer o país africano em 76,7 milhões, uma queda de quase 170% na balança comercial.

Em números mais concretos, ao longo do ano verificou-se um aumento nas compras de quase 680 milhões, e nas exportações uma queda dos 1,1 mil milhões para os 903 milhões, uma queda de 94.3% na balança comercial, passando de 438,8 milhões entre Janeiro e Setembro de 2018 para 25 milhões no período homólogo.

Em declarações à Lusa, o INE revela que “o aumento de 6.691% em Setembro deve-se à NC 2709 (Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos), com um peso de 99,2%, face ao total das importações deste mês”.

Nessas mesmas declarações, o instituto acrescenta ainda que “existe sempre uma grande volatilidade nos países de origem dos produtos petrolíferos, justificada pelo facto de as empresas importadoras recorrerem a um cabaz de crudes de diversas origens, adquirindo aqueles que a cada momento se encontram disponíveis em condições económicas mais competitivas, pelo que as importações mensais reflectem essa realidade”.

Share This

Partilhar este artigo