No passado dia 25 de Outubro as portas da Nova SBE abriram-se para receber a 5ª edição da Procurement Conferência, pelas quais atravessaram duas centenas de profissionais do sector das compras para ouvir falar das “Tendências, Competências e Novas Fronteiras: Da Informação à Criação de Valor”. Foi um dia que trouxe a debate as mais diversas áreas de actuação, directa e indirecta, de todo o processo de procurement, que embora para muitos ainda seja visto como compras, a verdade é que para elas ocorrerem existe um planeamento estratégico e rigoroso por detrás.

Deste modo, estiveram em palco temas importantes que foram desde a sustentabilidade à tecnologia 4.0, de desafios a soluções para as ultrapassar ou da actualidade a projecções futuras, não apenas ao nível do privado, mas também do sector público. E mais: não só em Portugal, mas também pelo mundo. Nesta edição estiveram presentes oradores nacionais e internacionais, com visões que iam além-fronteiras e chegavam a importantes pontos do mundo.

Ao longo do dia foram apresentados diversos casos de empresas, estudos ou mesmo de experiências pessoais no sector, que poderão ajudar quem está nas compras  a contornar as dificuldades sentidas ao longo dos dias. Ao promover este contacto e estes momentos de brainstorming e networking, a conferência teve como objectivo ajudar os profissionais a fortalecer relações profissionais, a melhorar o seu conhecimento sobre este sector, conhecer o que está a ser feito noutras organizações, e a contornar os desafios associados a esta área.

Com as incertezas do agora muito presentes, e as do amanhã ainda mais, neste dia falou-se muito do risco e dos desafios que se aproximavam. Mas o que é o risco neste sector, afinal? Os profissionais de procurement lidam com ele todos os dias, e é ele que cria a diferença.

Sabe-se portanto que um profissional de procurement sabe o significado de “Preço”. Mas também que um bom profissional conhece mais além, lidando ainda com o termo “Valor”. Mas o verdadeiro profissional de procurement tem o seu TCO sempre presente, pelo que sabe o que é “Custo”. Este profissional é o que distribui bem a sua equação de modo a criar valor, resultado do melhor preço ao menor custo. Ou como explicou Sérgio Rodrigues, director de Infra-estruturas e Logística da Manvia: “falamos do preço e do valor, mas temos de olhar também para o custo”.

Leia brevemente a reportagem completa na nossa revista #5.

 

Percorra a galeria no nosso facebook e veja (ou reveja) alguns dos momentos passados nesse dia.

Share This

Partilhar este artigo