O Grupo Salgar foi criado em 2013, e actualmente encontra-se presente em todos os portos espanhóis e é líder no transporte de contentores em Espanha, com uma facturação de 38 milhões. No final de 2018 entraram em Portugal e já estão em Leixões, Lisboa, Sines e Setúbal porque, como dizem os responsáveis do grupo Salgar: “Não estamos de passagem, estamos para ficar”.

“Foi uma entrada difícil”, revela Paulo Gomes, general manager em Portugal. Explica que tirando os grandes clientes, que impulsionaram a internacionalização da marca, em Portugal quase ninguém sabia quem era a Salgar. “Prevíamos arrancar em Janeiro, mas na verdade só começámos em Março”.

Xavier Sales Garcia, director-geral do Grupo Salgar, revela que alguns dos seus grandes clientes espanhóis tinham actividades em Portugal, e questionaram-no sobre o porquê de não estarem presentes em Portugal, visto “ficar a um pequeno passo”.

“Já que me prestas serviços em Valência, porque não me prestar também serviços em Algeziras, ou Barcelona, ou Madrid, Castela, Vigo… E porque não me ajudas também em Portugal?” – Xavier Sales Garcia

O principal obstáculo para a entrada em Portugal foi a falta de motoristas, realidade que também sentem em Espanha, mas que os afectou mais deste lado da Península Ibérica. Devido às complicações de entrada em Portugal, as movimentações que esperavam (15.000 movimentações de contentores e 10.000 viagens convencionais) foram reduzidas para 60%, o que ainda assim é um número assinalável.

Paulo Gomes revela que estão a comprar novos equipamentos e a investir fortemente, “acreditando que é um projecto com muita segurança e, acima de tudo, com muita seriedade e futuro”, e anuncia que a equipa irá expandir brevemente: “iremos começar a empregar mais 15 motoristas, com a compra de 15 veículos novos”.

“Vai haver alguma criação de postos de trabalho, todos portugueses. É uma política do Grupo Salgar, e que demonstra o nosso interesse e a nossa confiança neste projecto em Portugal. – Paulo Gomes

Independentemente do destino da carga, o importante para o Grupo Salgar são as pessoas e responder às suas necessidades. Paulo Gomes revela que muitas vezes a última preocupação que têm é o preço, e a sua prioridade é encontrar soluções. “É algo que acontece todos os dias”, explica, “preocupamo-nos em fornecer o serviço, por vezes sem saber o preço que iremos cobrar por ele, porque essa é a última coisa com que nos preocupamos. O importante é o cliente”.

“Mais que preços, fornecemos soluções” – Paulo Gomes

Revela que conseguem chegar a qualquer parte do mundo, dependendo das necessidades do cliente, e o líder espanhol afirma mesmo que estarão “onde o cliente precise de nós”.

Confrontado com a questão da possibilidade de saída do Reino Unido da União Europeia e a repercussão que isso possa ter para o negócio, Paulo e Xavier explicam que neste momento trata-se apenas de uma incerteza, que poderá ser impactante em especial no transporte rodoviário, e talvez um pouco no marítimo, mas em menor escala, prendendo-se apenas com questões de taxas adicionais.

De acordo com Paulo Gomes, a vantagem de estarem presente em todos os portos espanhóis, marítimos e secos, e agora também nos principais portos portugueses, é a capacidade de serviço que conseguem prestar. Xavier Sales Garcia explica que esta preocupação com o serviço é importante para o Grupo Salgar, e revela que se tentam diferenciar através das pessoas: “Hoje, o preço é muito idêntico, serviço todos podem dar, uns dão melhor informação que outros, mas a Salgar tem uma coisa que é única. As pessoas que compõem a empresa”.

A aposta nas pessoas não se limita à equipa. O Grupo Salgar leva a sério a responsabilidade social e procura apoiar associações de solidariedade social em Portugal, tal como já faz em Espanha, como reforço do compromisso social do grupo: “apoiamos, contribuímos e somos sócios de diversas associações e entidades de apoio e solidariedade social, por exemplo relacionadas com o cancro e com síndrome de down, e temos inclusivamente nas nossas equipas pessoas com síndrome de down”.

Para Xavier Sales Garcia este é um investimento sem qualquer interesse comercial, que se prende apenas com o papel e impacto social positivo que as empresas podem e devem ter.

Até ao final do ano, o Grupo Salgar tenciona ultrapassar os 100 mil contentores em Espanha, meta que revela estar quase alcançada, tendo movimentado mais de 400 camiões diários ao longo do ano. Relativamente ao crescimento do grupo, após esta primeira expansão para Portugal os dois responsáveis admitem que está nos planos, para já, chegar a mais dois países. Um na Europa e o outro em África.

Share This

Partilhar este artigo