A subsidiária logística da empresa espanhola Vidrala pretende investir na melhoria dos seus serviços de transporte de modo a evitar stocks para as empresas de vinho, cerveja e alimentares, os seus principais compradores. Em cinco anos espera-se que duplique a sua frota de 40 para 80 camiões, apostando ainda na sua modernização com equipamentos menos poluentes.

“O objectivo não é competir no transporte, mas melhorar o atendimento ao cliente, que não quer armazenar”, revelam os responsáveis do grupo Alavés, sendo que assim passa a ser o fornecedor a armazenar os grandes stocks e não o cliente, evitando stocks para o cliente.

Recentemente a SB Vidros, empresa adquirida pela Vidrala em 2016, apostou num novo armazém na Marinha Grande, onde se encontra presente em Portugal, que quando estiver terminado será o maior da Península Ibérica. “Temos um forte carácter de exportação e nossa subsidiária de transporte é fundamental para garantir a logística em um país remoto como Portugal”, acrescentam.

Actualmente, a empresa revela que os seus camiões já dão, anualmente, 83 voltas ao mundo: 3,3 milhões de quilómetros desde a sua base da Marinha Grande, cobrindo todo o país, Espanha e ainda França. A empresa revela que a ocupação diária dos veículos ronda os 98%, pelo que se compreende a necessidade de aposta na expansão da frota.

A nova frota irá ser renovada em termos de sustentabilidade, com a incorporação de veículos certificados de acordo com as recentes normas EURO 6.

A empresa adianta ainda que ao longo dos próximos cinco anos serão investidos 500 milhões de euros para modernizar as suas instalações, no qual se insere esta expansão da frota, introduzindo ainda novas tecnologias e melhorias a nível ambiental e ampliando a sua capacidade produtiva.

O valor alocado para as melhorias das suas soluções darão prioridade às suas fábricas mais rentáveis: as duas de Portugal e as duas do Reino Unido, através da sua subsidiária Encirc (uma delas na Irlanda do Norte).

Share This

Partilhar este artigo