Portugal tem algumas das empresas mais sustentáveis do mundo, e isso vai para além dos números financeiros. As empresas estão cada vez mais preocupadas com temas como sustentabilidade e responsabilidade social e ambiental, e isso passa por uma boa gestão de recursos naturais, que se estão a tornar cada vez mais escassos e a ter um impacto cada vez maior no ambiente e nas alterações climáticas.

A sustentabilidade passa pelo impacto que as operações das empresas têm em todo o meio que as envolvem, desde a comunidade aos colaboradores e claro, ao ambiente. Potenciar os impactos positivos e reduzir os negativos é o objectivo, e adoptar práticas éticas e transparentes, que permitam antever possíveis problemas na cadeia, são formas utilizadas para reduzir o impacto e transmitir confiança ao mercado, envolvendo para isso toda a cadeia.

Entre as empresas mais sustentáveis do mundo está o Grupo EDP, a única portuguesa que integrou, no ano passado, a Euronext Vigeo World 120, uma medida de desempenho que destaca as 120 empresas a nível mundial que incorporem e promovam práticas sustentáveis, já tendo inclusive estado ao longo de sete anos consecutivos, em outros três índices da Euronext Vigeo Eiris.

Estas distinções utilizam 300 indicadores que vão desde áreas como Direitos Humanos, Recursos Humanos, Envolvimento com a Comunidade, governo societário, Ambiente ou comportamento nos negócios.

No índice europeu da Euronext Vigeo Eiris podemos ainda encontrar o Grupo Jerónimo Martins. A retalhista portuguesa tem apostado na redução da pegada de carbono, desperdício alimentar desenvolvimento social e prevenção ambiental.

Por sua vez, a Galp foi considerada a terceira empresa mais sustentável do mundo, já tendo sido distinguida a melhor da Europa e, no ranking mundial de sustentabilidade, conseguiu o terceiro lugar entre 71 empresas, com uma percentagem de 96%, mais 3% que no ano anterior.

Os melhores resultados obtidos pela empresa foram atingidos em campos como as estratégias climáticas e os riscos relacionados com a água, tendo ainda como suporte a este crescimento a aposta na dimensão social, bem como gestão de risco, ambiente e atracção e retenção de talento.

Share This

Partilhar este artigo